Presidente dos bancos, não do povo: Bradesco comemora vitória fraudulenta de Bolsonaro

bradesco eleição

Da redação – Nessa segunda-feira (29) um dia após a eleição presidencial mais fraudada da história do Brasil que elegeu o golpista Jair Bolsonaro, o atual presidente do Bradesco lançou nota em que se diz otimista com a vitória da extrema-direita. Octavio Lazari Junior veio a público através de uma nota que deixa claro que quem agiu para eleger Bolsonaro não foi o povo brasileiro, mas sim os banqueiros que são os maiores representantes do imperialismo no Brasil.

Octavio Lazari afirma, em nome dos banqueiros, que “a partir deste cenário, nos sentimos revigorados para dar início a um novo ciclo de reformas estruturais no sentido de modernização do Brasil”. A verdade é que os próprios banqueiros financiaram a campanha de Bolsonaro e a fraude nas eleições para que pudessem levar adiante o programa neoliberal de ataques aos direitos da população brasileira, como é o caso da reforma da previdência que já vem sendo anunciada como a primeira medida do governo de Bolsonaro.

O pronunciamento deixa muito clara a posição da burguesia e do imperialismo que se sente a vontade com um regime que assume contornos cada vez mais ditatoriais, ou seja, a burguesia fará de tudo para levar seus interesses adiante mesmo que isso exija um fechamento do regime político. Em outro ponto, Lazari afirma que a vitória do candidato de extrema-direita “ampliou bastante a carga de expectativas em relação à ampliação dos investimentos e criação de novos empregos”, ou seja, os banqueiros escolheram Bolsonaro como seu candidato para poder atacar cada vez mais as condições de vida da população.

Outro representante do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi (presidente do Conselho de Administração do banco), afirmou ainda que a eleição teria sido a mais democrática do Brasil e que o país estaria agora na posição ideal para aprovar as reformas que os banqueiros e a burguesia querem. Na eleição mais fraudada da história do país os banqueiros financiaram a fraude eleitoral e elegeram uma das suas marionetes que irá atacar todos os direitos da classe trabalhadora para encher os bolsos dos patrões.

Não devemos reconhecer as eleições fraudadas, seu resultado é totalmente ilegítimo e o governo que tem origem da fraude é um governo golpista. É preciso dizer desde já: Fora Bolsonaro e todos os golpistas!