Fascista
Tribunal golpista decidiu proibir atos de rua durante as eleições
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
corregedor_tjpe
Frederico Neves | Foto: Reprodução

Durante a sessão ocorrida no dia 29 de setembro, quando o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), passando por cima do direito constitucional de manifestação, proibiu os atos de rua durante as eleições, o presidente Frederico Neves defendeu abertamente que a polícia fosse usada para impedir, pela força, que as pessoas se manifestassem. O desembargador afirmou ter recebido a redação do ofício no mesmo dia, mas decidiu colocar como prioritária a discussão da pauta. Neves chegou a dizer que não poderia dormir sem propor à Casa a proibição dos atos de rua.

Na leitura da resolução arbitrária, inconstitucional e ditatorial aprovada pelo TRE-PE, o presidente da Casa mostrou concordância com o seguinte artigo:

“Os juízes eleitorais, de ofício ou por provocação, no exercício do poder de polícia, deverão coibir todo e qualquer ato de campanha que viole as disposições desta Resolução, podendo fazer uso do auxílio de força policial, se necessário”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas