EUA, verdedeiros genocidas
Segundo Rohani, os EUA estão fazendo a mesma covardia que fizeram com o negro estadunidense. É como se os EUA estivesse pressionando o pescoço do povo iraniano com as sanções.
IRAN, TEHRAN - APRIL 22: (----EDITORIAL USE ONLY  MANDATORY CREDIT -
Hasan Rohani, presidente do Irã | Handout/Anadolu Agency/Getty Images
IRAN, TEHRAN - APRIL 22: (----EDITORIAL USE ONLY  MANDATORY CREDIT -
Hasan Rohani, presidente do Irã | Handout/Anadolu Agency/Getty Images

Nesta terça-feira, 22, em discurso virtual perante a Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), Hasan Rohani, presidente do Irã, afirmou que “o mundo atravessa tempos difíceis devido à pandemia” do novo coronavírus, mas para além desta severa situação, o povo iraniano ainda tem que enfrentar as “sanções cruéis” dos EUA.

Ainda segundo o presidente persa, a covid-19 é agora uma “dor comum” para a humanidade, o que destaca, mais uma vez, a impossibilidade de resolver os problemas globais sem cooperação internacional. Ao invés de usufruírem de cooperações internacionais, o povo iraniano “está lidando com as sanções mais duras da história, que constituem uma violação flagrante da Carta das Nações Unidas, acordos internacionais e os Resolução 2231 do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU)”, disse Rohani.

Segundo Rohani, os EUA estão fazendo a mesma covardia que fizeram com o negro estadunidense. É como se os EUA estivesse pressionando o pescoço do povo iraniano com as sanções cruéis, o mesmo que o policial americano branco fez com George Floyd em maio.

“Durante décadas, a brava nação iraniana pagou um alto preço por sua busca pela liberdade e sua libertação da dominação. No entanto, a nação iraniana não apenas resistiu diante das pressões, mas floresceu e avançou enquanto continua desempenhando seu papel histórico na promoção da paz, estabilidade, diálogo, tolerância e luta contra a ocupação e o extremismo”, afirmou Rohani.

Relacionadas
Send this to a friend