Privatizações
Governo ilegítimo Bolsonaro e seu preposto na direção do Banco do Brasil reforça a proposta de privatização do banco
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
banco-do-brasil-1
Foto ilustrativa do Banco do Brasil. |

O Chicago Boy e golpista presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, reafirmou no último dia 10 de dezembro em audiência pública na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara, ser favorável à privatização do Banco do Brasil. De acordo com o representante do governo golpista/fascista Bolsonaro à frente do banco, a privatização é uma decisão política que esbarra na vontade do fascista Bolsonaro, mas que tanto ele quanto o ministro, tresloucado, da Economia, Paulo Guedes, são favoráveis à desestatização do BB.

As atuais declarações de Novaes, não é uma novidade, reafirmam o que ele já havia dito, logo no começo do ano, que o “BB privatizado seria mais eficiente”, que o “controle estatal é um entrave, pois reduz a liberdade para tomada de decisões” e, não deixam dúvidas quanto à política da direita golpista em relação ao patrimônio do povo brasileiro de entregar, para os banqueiros privados nacionais e internacionais, os bancos públicos a preço de banana.

Não pode haver dúvida, por parte dos trabalhadores e especial dos bancos públicos, que o golpe de estado, financiado pelos banqueiros, tem com um dos seus fundamentos implantar a política neoliberal de privatização, com a entrega do patrimônio do povo brasileiro. Os golpistas do governo já deram inúmeras declarações de que pretendem entregar todas as empresas estatais e já começaram a fazê-lo quando anunciaram a venda de 17 delas, tais como os Correios, Eletrobras, Casa da Moeda, Serpro, Dataprev, etc. e, dentre elas a Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex) uma subsidiária da Caixa Econômica Federal. Recentemente a direção golpista do Banco do Brasil assinou um memorando de entendimento como grupo UBS, empresa de serviços financeiros com sede em Zurique na Suíça, passando para a mesma o controle de uma das suas principais subsidiárias na área de investimento e corretagem de valores mobiliários (BBI), ou seja, ir privatizando por partes até liquidar completamente com os bancos.

Os bancos públicos e as empresas estatais são alvos deste governo, fruto de um golpe de estado, financiado pelos grandes capitalistas e banqueiros nacionais e internacionais, pelo imperialismo, principalmente o norte-americano, que tem como fundamento expropriar todos os trabalhadores e a população para beneficiar um bando de parasitas em crise.

Neste sentido, a ofensiva reacionária da direita contra os trabalhadores em geral, e em particular das empresas estatais, precisam ser respondidas a altura através de gigantescas mobilizações e da organização de milhares de comitês de luta contra o golpe que tenham com palavra de ordem principal Fora Bolsonaro e todos os golpistas, Eleições Gerais já, Anulação de todos os processos contra o ex-presidente Lula.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas