Futebol S/A
Com o conhecido argumento de crise financeira, mais um clube tradicional está na mira dos capitalistas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
abc
Tradicional escudo do ABC Futebol Clube, um dos maiores do nordeste | Foto: Reprodução.

Mais um tradicional clube de futebol brasileiro na mira do capitalismo. O centenário ABC Futebol Clube é um dos maiores clubes do nordeste e está sediado na capital do Rio Grande do Norte. Entre suas façanhas, o “Campeão das Multidões” é a equipe brasileira que mais venceu campeonatos estaduais e a com mais títulos em uma mesma competição do mundo inteiro.

O ABC foi fundado em 29 de junho de 1915 e a data tornou-se comemorativa em 2008, passando a ser o “Dia do ABC Futebol Clube”. É um dos poucos clubes do nordeste que possui estádio próprio, com capacidade para 18 mil torcedores. Uma curiosidade é que sua sigla faz referência ao Pacto do ABC (ou Pacto de Não Agressão, Consulta e Arbitragem) assinado em 15 de maio de 1915 por Argentina, Brasil e Chile.

Entre 1932 e 1941 conquistou dez Campeonatos Potiguares seguidos, recorde estadual que detém junto com o América Mineiro no Brasil. Só pra citar outro feito histórico, o ABC é o clube brasileiro que mais conquistou títulos no Século XX e conta com pelo menos nove torcidas organizadas.

Como tem sido noticiado com bastante frequência neste Diário, os alvos do interesse dos capitalistas são justamente os clubes tradicionais envolvidos em crises financeiras. Com a justificativa de sanar dívidas e “equilibrar financeiramente” os clubes, parte importante do patrimônio cultural brasileiro é leiloada para esses verdadeiros parasitas econômicos.

Um primeiro aspecto importante é a desfiguração dos clubes, que tem como caso emblemático o Bragantino. Fundado em 1928, o clube de Bragança Paulista foi adquirido pela multinacional Red Bull e trocou suas cores tradicionais para se adequar a marca de bebidas e até seu escudo foi alterado para favorecer a propaganda da empresa.

Após bons resultados no começo da empreitada, com a imprensa burguesa comemorando entusiasticamente cada ponto conquistado, o Bragantino vem obtendo resultados medianos e perdeu espaço nos noticiários esportivos. Atualmente está no meio da tabela do Brasileirão.

O Figueirense, tradicional clube da capital de Santa Catarina, passou por uma experiência de clube empresa que não deu certo. Fundado em 1921, entre 2017 e 2019 foi transformado em clube empresa, após rebaixamento para a Série B. Depois de um ano repleto de crises, envolvendo até salários atrasados, a privatização foi revertida e o clube se salvou por pouco do rebaixamento.

O Grêmio Barueri é um exemplo diferente, de clube que já nasceu como empresa. Em 2010, os empresários decidiram transferir o clube para o extremo oeste do estado. O antes Grêmio Barueri virou Grêmio Presidente Prudente. Pouco mais de um ano depois, voltou para Barueri e retomou o nome antigo. Como é possível um time itinerante ter algum vínculo com torcedores?

Os torcedores precisam defender seus clubes do coração e impedir sua desfiguração e distanciamento. É preciso que lutem pelo controle dos clubes para salvá-los da destruição capitalista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas