Presidente de Cuba pede para que país se levante no 1º de maio pela liberdade de Lula

diazcanel

Da redação – Em denúncia ao intervencionismo norte-americano nos governos da América Latina, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, chamou a população caribenha a juntar-se às manifestações para exigir a liberdade de Lula neste 1º de maio.

Além de lembrar de Lula como preso político do imperialismo, o presidente cubano também denuncia o bloqueio à Cuba, e a política agressiva dos EUA contra países como Venezuela e Nicarágua.

Neste dia histórico de manifestação dos trabalhadores, Díaz-Canel acerta em incentivar um ato intensamente político, levantando a palavras de ordem importantíssimas para o momento, de liberdade para Lula.

As lideranças da esquerda, a exemplo de Cuba, têm que deixar os “showmícios” de lado e usar a potência das manifestações de primeiro de maio para unificar os trabalhadores para libertar o ex-presidente e exigir o fora Bolsonaro.