Presidente da Shell acha muito positivo “o caos”

Entrvista com o presidente da Shell, André Araújo, em sua sede no centro do Rio.

A Shell Brasil, grande representante da indústria do petróleo, manifestou apoio à política de preços instituída pela Petrobras desde a subida ao poder do governo golpista. A mensagem foi transmitida pelo presidente da companhia, André Araújo, em entrevista dada ao Grupo Estado.

Rodada Internacional de Palestras com Rui Costa Pimenta

Em meio ao caos social causado pela greve dos caminhoneiros deflagrada desde o início da semana, por conta da alta do Diesel que alcançou patamares absolutamente irreais em comparação à realidade do país, o representante da empresa apontou que tudo não passa de um movimento normal do mercado. Disse que ocorre no mundo inteiro e que o anormal é a fixação de preços por parte do governo, atacando a política adotada pelos governos do Partido dos Trabalhadores.

A desfaçatez dos golpistas é imensurável. André Araújo, um dos infiltrados do imperialismo destacado para conduzir a pilhagem da pasta de óleo e gás, é o mesmo que, há alguns meses, enquadrou a carola do STF, Ministra Carmem Lúcia, em um jantar com a nata dos representantes das maiores companhias do mundo. Naquela ocasião, a Ministra prometeu aos seus patrões que não pautaria a discussão do famigerado cumprimento de pena após condenação em segunda instância. Promessa que, aliás, vem cumprindo diligentemente, não obstante a cisão causada pelo tema entre o pleno do Supremo.

Os golpistas que comemoram a alta do combustível no Brasil são os mesmos que mantém as instituições reféns para que a prisão do ex-presidente Lula se prolongue. É evidente que não medirão esforços para naufragar a candidatura do petista, afundando também a intenção de voto da maioria dos brasileiros.

Para o presidente da Shell, a enorme crise que assola o país é um sinal de que as coisas estão entrando nos eixos. Com a língua solta e a mente tacanha que caracteriza a burguesia, André arremata – para o mercado tudo isso é muito positivo.