Presidente cubano denuncia prisão política de Lula na ONU

Cuba's President Miguel Diaz-Canel speaks at the Nelson Mandela Peace Summit during the 73rd United Nations General Assembly in New York

Da redação – O Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, denunciou em sua estreia na Assembleia Geral da ONU em Nova York, nesta quarta-feira (26), a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como política, para impedir que o povo eleja o maior líder popular do Brasil.

Denunciamos o encarceramento com fins políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e a decisão de impedir ao povo votar e eleger para a Presidência o líder mais popular do Brasil”, disse Díaz-Canel.

O presidente cubano também denunciou a tentativa de golpe para derrubar o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, que desde abril enfrenta manifestações golpistas da direita, semelhantes às que ajudaram derrubar Dilma no Brasil.

Da mesma forma, manifestou o apoio incondicional de Cuba à Venezuela, que vem sendo vítima de uma pressão imperialista sem precedentes na América do Sul, inclusive com planos de invasão do país governado por Nicolás Maduro.