Patrões aplaudem Bolsonaro
Estamos literalmente numa luta de vida e morte contra o governo patronal e fascista de Jair Bolsonaro é necessário se levantar e cpor o governo abaixo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
20200429_162725
Foto: Economia Estadão. |

Não há limites para os crimes do governo Jair Bolsonaro contra a classe trabalhadora brasileira. Em meio a pandemia do coronavírus, com o governo fascista sujando suas mãos de sangue com os milhares de mortos pelo Covid19, este crime fica ainda maior ao esconder os dados do verdadeiro número de contaminados e mortos no país, mas também ao esconder o mar de trabalhadores desempregados a cada dia.

De acordo com os dados sub – mensurados do Ministério da economia mais de 804 mil pessoas perderam o trabalho entre março e abril e recorreram ao seguro-desemprego durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. Mas de acordo com o ministério fascista cerca de 200 mil desempregados ainda não pediram o auxílio por conta do isolamento social. O que fará o país contabilizar 1 milhão de desempregados a mais em apenas dois meses.

O governo inimigo de morte do povo desconsidera totalmente a crise, veja as declarações de membros do governo. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys: “Havia uma preocupação com a explosão do seguro-desemprego, mas não verificamos isso. Verificamos que o número de pedidos ainda é razoavelmente estável. Há um ligeiro aumento, mas não é nenhuma explosão”, classificando o balanço como uma “notícia boa”, pois as políticas do governo estariam surtindo efeito.

Outro golpista, o secretário de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco mantém a mesma linha, “Os dados estão absolutamente positivos. Claro que temos um aumento do desemprego, mas o Brasil está conseguindo preservar muitos empregos”, colocando que 4,2 milhões de trabalhadores já fizeram acordos conforme a Medida Provisória 936, que permitiu a suspensão do contrato de trabalho e a redução do salário nesse momento de calamidade pública.

Na ausência criminosa de dados oficiais, escondidos, com a cafajeste alegação de que as empresas não repassam o número efetivo de atingidos pelo desemprego, os números do seguro-desemprego mostram que ao menos 5 milhões de trabalhadores formais tiveram seus empregos prejudicados de alguma forma, além do número de um milhão de demitidos, outros 4,3 milhões de trabalhadores formais tiveram o contrato suspenso ou jornadas e salários reduzidos por até três meses. Tudo isso como resultado da Medida Provisória (MP) 936que favorecem as empresas a continuarem demitindo, pagando a multa reduzida determinada pela MP.

Os trabalhadores precisam agir em legítima defesa contra o governo que mata pela fome e pela doença. É necessário sair às ruas e por abaixo todo governo assassino de Jair Bolsonaro, começando pelo primeiro de maio, apoiando o ato presencial de luta pelo Fora Bolsonaro do Partido da Causa Operária, que mostrará educativamente a necessidade de se mobilizar para defender as nossas próprias vidas. Fora Bolsonaro! Viva o 1° de Maio da Classe Operária Mundial!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas