Presença dos militares aumentou a violência no Rio de Janeiro

intervencao_militar_RJ

O Observatório da Intervenção, uma iniciativa do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec) da Universidade Cândido Mendes divulgou relatório no dia 16 de agosto sobre os resultados da intervenção militar no estado do Rio de Janeiro.

Segundo o relatório Vozes, a violência, além de não ter diminuído, pelo contrário,

aumentou nos seis primeiros meses de intervenção militar comparados com os seis meses anteriores à intervenção, todos os tipos de crimes tiveram seus índices aumentados, e o que se verifica, conclui o relatório, é que alguns crimes migraram de região, roubo de carga por exemplo, migrou da Pavuna para a região de Tanguá.

E o pior, nenhuma das metas estabelecidas para contenção da violência foram cumpridas, ou seja, a fantasia estimulada por alguns setores atrasados de que a intervenção militar resolveria os problemas não virou realidade, e nem poderia ser de forma diferente pois as forças de repressão existentes não estão aí para garantir a segurança de ninguém, nem mesmo de seus membros, menos ainda da população pobre e preta das periferias das grandes cidades. As polícias, como todo pobre sabe, só está aá para reprimir a população e nada alem disso.

Esse resultado só revela aquilo que já estava claro: a intervenção militar no Rio de Janeiro não tem qualquer outro objetivo senão preparar, por meio da ocupação do segundo estado mais importante do País, um golpe militar.

Quem quiser pode ver com seus próprios olhos o resultado da falácia dos militares como garantidores da lei e da ordem.

Link para o relatório Vozes sobre a Intervenção Militar no Rio de Janeiro:

https://drive.google.com/file/d/1MB8rshox_wecNNkvj4PKNGp8xipUSp9h/view