Ditadura contra o trabalhador
A direita em Porto Seguro quer esconder a falta de medidas contra o coronavírus com medidas repressivas contra a população pobre e trabalhadora
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
lockdow4-2
Barreira policial na entrada do Cambolo | Imagem: Jojô Notícias.

Nesta semana, a prefeita Claudia Oliveira (PSD) anunciou juntamente com seus secretários e os patrões da cidade o lockdown em dois bairros pobres do município como medida de controle da disseminação de coronavírus.

Os bairros do Cambolo e do Parque Ecológico vai ser completamente fechados através da repressão da polícia militar sob a justificativa de que são bairros que estão com números elevados de contaminados.

Nesse momento, o bairro do Cambolo já se encontra todo fechado com barreiras policiais e grande número de policiais que intimidam e forçam a população a ficar em casa.

A medida pode até enganar algumas pessoas desinformadas, mas fica evidente que essa medida não serve e não está para combater a disseminação de o coronavírus. Tanto é assim, que o Cambolo e Parque Ecológico tem um número levemente maior de casos registrados de bairros de classe média alta que não tem nenhum tipo de controle.

O bairro da Orla Norte onde se concentra a parte de moradores mais ricos e patrões da cidade, possui um número equivalente ao do Cambolo e não tem possui tipo de controle repressivo da PM. Isso porque os ricos e os patrões são mais responsáveis que a população trabalhadora? Claro que não.

Os patrões estão querendo jogar os trabalhadores em meio a pandemia obrigando-os a trabalhar para manter seus lucros em alta. Imagine se cumprem os protocolos estabelecidos.

Essa medida colocada em prática pela prefeitura e que foi planejada juntamente com os patrões e a direita da cidade serve para duas coisas: reprimir ainda mais a população pobre e fazer propaganda da prefeitura que está tomando medidas “duras” para combater a pandemia.

É claro que as medidas “duras” servem apenas para os pobres, mas o lockdown não tem nenhuma serventia se a esmagadora maioria dos trabalhadores são obrigados a trabalhar, sendo contaminados no transporte público ou nos locais de trabalho. Os trabalhadores ainda vão ter que sair para trabalhar ou procurar maneiras de sobreviver e vão estar sujeitos ao coronavírus, mas agora vão ter que se sujeitar as humilhações e a violência policial.

Outro ponto é que a crise econômica e social agravada pela pandemia está criando uma situação de explosão social que a direita tenta reduzir através da violência policial.

 

A população precisa de testes e medidas que permitem os trabalhadores a ficarem em casa

 

Medidas policiais não resolvem nem a questão da violência imagina as questões de saúde. O que a população precisa não é lockdown e sim uma maneira que garanta que as pessoas possam ficar em casa com renda. Trabalhadores desempregados não tem como ficar em casa porque vão passar necessidade e se sujeitar a sair as ruas para garantir uma renda.

Outra medida é na questão da saúde. Além de não ter mais UTI´s disponíveis na cidade e já existem trabalhadores morrendo nas filas dos hospitais, a cidade carece de profissionais de saúde e testes. Não há maneira de combater a disseminação de coronavírus se não são realizados testes em massa.

Não se pode jogar a culpa na população pelo avanço do coronavírus quando a culpa é dos patrões que ainda obrigam os trabalhadores a sair de casa e dos governos que não fornecem testes, profissionais de saúde e nenhuma condição para a população.

É preciso denunciar a farsa do lockdown e exigir o fim imediato dessa medida que não reduz a disseminação do coronavírus e ainda coloca mais medidas ditatoriais contra a população pobre e trabalhadora.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas