Repressão
Como sempre, as instituições policiais usando como desculpa a ordem para poder reprimir o povo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bombeiros-franceses-enfrentam-tropa-de-choque-em-passeata_sputnik_05
Repressão contra a população | Foto: Reprodução

Desde o último sábado (27), a Guarda Municipal de Diadema juntamente com a Polícia Militar, tem usado um caminhão com jato d’água, para dispersar bailes funk na cidade, com a desculpa de que a medida é feita para evitar aglomerações, utilizando pela primeira vez pela primeira vez o caminhão “Tempestade” para combater pancadões na cidade.

O veículo foi adaptado com verba do Fundo Municipal de Segurança – mais de 18 mil em investimento – para realizar operações de distúrbio civil e ações especiais da GCM. Com capacidade de cinco mil litros de armazenamento, foi instalado um jato de pressão d’água. O veículo foi oferecido pelos bombeiros ao município após a corporação adquirir um veículo mais moderno para prestar serviços na cidade. Além de bailes funk, o veículo será usado em operações contra distúrbios civis e em ações especiais da GCM.

Resumindo: mais uma ferramenta que se soma ao aparato repressor do Estado!

As guardas civis são estagiárias da PM, e não passam de um protótipo de organizações militares. Esse tipo de operação, tem sempre como desculpa, que Guardas civis municipais e policiais militares trabalham nos finais de semana atendendo às reclamações da população relacionadas à emissão de sons e ruídos por automóveis, além de bares em diversos pontos da cidade. Mas o que é impressionante, é que esse tipo de abordagem nunca é realizado em bairros como Moema, Jardins ou Alphaville – esse último bairro por sua vez, deixou notório através de um vídeo que viralizou na internet, como a polícia é tratada pela classe alta do nosso país.

Esse tipo de ação é sempre e unicamente realizada apenas em bairros pobres de São Paulo, portanto, essa desculpa de “ reclamações da população relacionadas à emissão de sons e ruídos por automóveis”, é ridícula.
Essa questão de aglomeração, não passa de um pretexto dessa direita golpista que quer atacar duramente a população de uma forma totalmente covarde e arbitrária, forma que não seria aceitável nem com animais. É o prelúdio de uma ditadura.

Se o governo está tão preocupado com as aglomerações, por que a Grande São Paulo (Que Diadema faz parte), está retornando as atividades econômicas de setores não essenciais? O povo pode se aglomerar para encher os cofres dos capitalistas, mas para entretenimento não pode?

Os bailes funk sempre sofreram repressão por parte da Polícia a mando da burguesia fascista, muito antes do coronavírus – episódio Paraisópolis é um exemplo. Esse parasitas se incomoda demais com a diversão da senzala, pois apenas a casa grande pode fazer barulhos e incomodar a vizinha e sem ser abordados por policiais. O povo tem que servir de escravos para eles todos os dias e ir para suas casas quietinhos.

Esse tipo de repressão não será exclusivo para bailes funk, mas para qualquer movimento que esse governo golpista considerar um incômodo para eles. O povo precisa se unir para incomodar ainda mais esses sanguessugas, mas não apenas isso, para derrubar toda essa corja que suga todo o sangue do povo, sem a menor piedade.
Fora Doria, Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas