Prefeito Bruno Covas é inimigo do povo: há dois meses famílias acampadas no Paiçandu estão sem assistência

Desabrigados-de-prédio-que-desabou-ficam-na-rua-e-reclamam-por-moradia

O prefeito Bruno Covas encerrou nesta terça-feira (03) o cadastro das famílias que estão acampadas no Largo Paissandu para recebimento de benefícios, afirmando ainda, cinicamente, que quem está no acampamento não era morador do edifício que desabou e não receberá nenhum benefício. Uma clara política de terror contra a população pobre que perdeu tudo.

A mais de dois meses o edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo Paissandu, no Centro de São Paulo, foi criminosamente incendiado e desabou, deixando três vítimas fatais e dezenas de famílias desabrigadas. As famílias, que pertencem a um movimento social por moradia,  que ocupavam o prédio, restituindo-lhe sua função social, estão há dois meses acampadas em péssimas condições no largo Paissandu, sem nenhum tipo de auxílio da prefeitura, que aliás quer expulsá-los de lá. São dois meses de tortura contra contra crianças, mulheres, idosos, famílias etc.

A prefeitura atacou as famílias sistematicamente, em primeiro lugar deveriam ter alojado as famílias imediatamente após a tragédia. Não fizeram. As famílias estabeleceram-se no Largo exigindo moradia, a prefeitura procurou dispersa-los de toda maneira, impedindo inclusive a colocação de banheiros químicos. Neste período uma criança morreu vitimado política terrorista do prefeito contra a população pobre.

A prefeitura, quis livrar-se do problema oferecendo cadastro para o aluguel social para que as famílias deixassem o local, 400 reais por período curto, que não paga nenhum aluguel em São Paulo e não resolve nenhum problema das famílias. As famílias permanecem. Com a Polícia, com a justiça, retirando ou dificultando os recursos básicos a prefeitura pressionou para dispersa-los, não logrou sucesso.

Agora vão abandoná-los completamente afirmando não serem aqueles os moradores do prédio, é como não há documentos, a maioria perdido no incêndio e desabamento, vai ficar a própria sorte. É uma gestão criminosa,golpista, inimiga do povo, que joga a população na rua para atender os interesses dos capitalistas.