Menu da Rede

Uma situação catastrófica

Preço da cesta básica dispara em setembro

Segundo o estudo, se tomarmos como base a cesta mais cara (no caso, Florianópolis R$ 582,40), o salário mínimo necessário para adquirir os produtos deveria ter sido de R$ 4.892,75.

Tempo de Leitura: < 1

Alimentos da cesta básica – Reprodução

Publicidade

De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em setembro, os preços da cesta básica, ou seja, dos alimentos básicos, necessários para as refeições de uma pessoa adulta durante 1 mês, tiveram aumento substancial nas 17 capitais brasileiras pesquisadas.

Florianópolis foi a capital com maior acréscimo (9,80%), seguida por Salvador (9,70%) e Aracaju (7,13%). No centro econômico do país, São Paulo, houve uma elevação de 4,33%, chegando a custar R$ 563,35, em comparação com agosto. Não obstante, o preço da cesta básica subiu 18,89% em 12 meses. Segundo o estudo, se tomarmos como base a cesta mais cara (no caso, Florianópolis R$ 582,40), o salário mínimo necessário para adquirir os produtos deveria ter sido de R$ 4.892,75, longe da miséria paga à população (R$ 1.045,00), o que corresponde a 4,68 vezes o mínimo vigente.

Não é difícil imaginar no que pode resultar esses aumentos. Aumento no preço dos alimentos e alta taxa de desemprego são combustíveis fundamentais para uma explosão social. Esse, portanto, é o legado do golpe de 2016.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Populares na Rede
[wpp range="last24h" limit="3"]
NA COTV

Trótski: vida e obra | Curso completo (35ª Universidade de Férias do PCO)

1.6K Visualizações 12/06/2021 18:28

Watch Now

Send this to a friend