PR: Bolsonaro e justiça golpista ordenam a expulsão de indígenas de território tradicional do povo Guarani

manifesto_publico_despejo1
Famílias da Aldeia

Da redação – Os indígenas da aldeia Tekoha Pyau, localizada no Oeste do Paraná, em Santa Helena, estão denunciando um despejo iminente, prestes a acontecer, denunciaram líderes Guarani. Na aldeia convivem 12 famílias, com crianças, idosos e gestantes, que estão ameaçados de perderam suas casas.

O despejo das famílias é do interesse da Usina Hidrelétrica Itaipu Binacional, visitada por Bolsonaro há pouco tempo. A Justiça Federal de Foz do Iguaçu que expediu uma decisão de reintegração de posse.

Os habitantes da aldeia foram avisados na segunda-feira (11) e declararam que não têm outro lugar para onde ir. O despacho já foi enviado para a Polícia Federal, e portanto pode acontecer a qualquer momento, o que coloca os indígenas em uma situação preocupante.

“É mais uma tristeza para o lado dos Guarani, para a criança Guarani, para o idoso Guarani. Estamos preocupados, a Justiça deveria ver o nosso lado também. Não temos para onde ir, não temos onde morar, não temos condições financeiras para sair daqui”, cacique Fernando Lopes

As famílias estão colocando esperanças no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Ministério Público Federal (MPF) para reverter a situação. Porém, com o golpe de estado já ficou muito claro que as instituições, e principalmente no judiciário, são instrumentos da burguesia golpista e dos fascistas para atacar a população. A situação dos indígenas é grave pois estão em uma condição de total vulnerabilidade.

O cacique inclusive denunciou que as instituições não estão ajudando.

“Dependemos da Justiça, mas parece que ela não olha para o lado do Guarani. Somos seres humanos, temos o mesmo sangue de qualquer outro ser humano, de um juiz, de um promotor. A alma é a mesma, o sentimento é o mesmo. Nossas crianças não são como os animais que alguns brancos abandonam na ruas sem ter para onde ir”

O pretexto para o despacho dos indígenas seria a alegação de que se trata de um território de preservação ambiental. Um cinismo já que querem oferecer o local para uma hidrelétrica. Segundo o cacique, entretanto, o território é um território tradicional do povo Guarani, com um processo de reconhecimento em trâmite.

No início dos anos 80, durante a ditadura militar, os indígenas que ali habitavam foram expulsos por conta da construção do lago de Itaipu, que alegou as redondezas.

O cacique denunciou: “Historicamente nossos parentes viveram aqui, antes de Itaipu alagar às margens do Rio Paraná. Nossos antepassados tiveram que fugir após o alagamento. Essa era uma terra tradicional, aqui era o Tekoha Dois Irmãos, e voltamos para ocupar esse espaço. Mas desde que entramos aqui a Itaipu não nos deixa em paz. Já tentaram três vezes nos despejar, colocar essas famílias nas ruas”

Mais um ataque dos bolsonaristas contra os indígenas. É preciso resistir. Toda população está sendo prejudicada pelo golpe de estado e por isso é preciso unificar todos em torno da luta contra o golpe, contra o governo Bolsonaro e pela autodefesa da população.