Siga o DCO nas redes sociais

Privatização da água
Porto Seguro/BA: prefeita dá golpe e água é privatizada
Mesmo com decisão judicial supendendo a licitação e ampla rejeição da população, a prefeitura golpista de Porto Seguro entrega o serviços de água e esgoto para empresas privadas.
camara porto seguro água
Privatização da água
Porto Seguro/BA: prefeita dá golpe e água é privatizada
Mesmo com decisão judicial supendendo a licitação e ampla rejeição da população, a prefeitura golpista de Porto Seguro entrega o serviços de água e esgoto para empresas privadas.
Audiência realizada na Câmara Municipal. Foto: Ascom – Prefeitura de Porto Seguro
camara porto seguro água
Audiência realizada na Câmara Municipal. Foto: Ascom – Prefeitura de Porto Seguro

Nesta segunda-feira (23/09), a prefeita de Porto Seguro Cláudia Oliveira (PSD) deu mais um golpe na população e privatiza a água do munícipio em detrimento de toda a população. Na sexta-feira, o Tribunal de Contas (TCM) emitiu uma medida cautelar suspendendo o processo de privatização da água.

Mesmo com a decisão do TCM e da total rejeição da população de Porto Seguro, a direita golpista que tomou conta da prefeitura não suspendeu o processo de privatização e entregou a água para empresas privadas lucrarem as custas dos trabalhadores.

Está claro que a justiça não vai barrar o processo de privatização, pois sempre está ao lado dos empresários e políticos de direita e, também, a prefeita golpista Claudia Oliveira não está disposta de respeitar minimamente as decisões que vão contra o processo de privatização da água.

Nesse sentido é preciso mobilizar a população e as organizações de esquerda para impedir a privatização com a população nas ruas. É preciso ir aos bairros fazer uma enorme campanha com carro de som, panfletagens e colagem de cartazes pelas ruas dos bairros pobres.

A privatização não vai trazer nenhum benefício para a população e os serviços tendem a piorar e se tornarem cada vez mais caros.

Por isso, é preciso impedir da maneira que for necessária o crime de entregar esse enorme patrimônio dos trabalhadores de Porto Seguro para que as empresas privadas lucrem às custas da população pobre.