Não é esmola
Cesta básica supera o valor da metade do mínimo atual
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
4 pessoas
Mínimo teria que garantir as necessidades vitais de uma família de quatro pessoas | Foto: Reprodução

Com altas de mais de 20%, a cesta básica chega a custar quase R$ 600 na maioria das cidades do País. Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), apenas para cobrir o Custo Familiar de Alimentação (CFA), de uma família de 4 pessoas seria preciso dispor de cerca de R$1.800.

A Constituição Federal estabelece em seu Art. 7º que

são direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social” o recebimento de um “salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo…”

Uma estimativa elaborada pela Corrente Sindical Nacional Causa Operária, com base em preços médios nas 10 maiores capitais brasileiras apontou – de acordo apenas com as necessidades estabelecidas na Constituição -, sem levar em considerações impostos (que hoje incidem sobre salários nessa faixa) apontou os seguintes valores a serem considerados, no necessário debater a ser feito – de forma concreta – entre os trabalhadores, nos seus Sindicatos, na CUT etc.

Necessidade Estimativa Mínima Observações
Moradia R$1.000 Pagamento de prestação ou aluguel de um imóvel de 2 quartos
Alimentação R$1.800 3 X Custo da Cesta Básica, conforme Dieese
Educação R$ 200 Gastos com material escolar, alunos em escola pública, internet
Saúde R$ 200 compra de remédios, usando saúde pública (sem plano)
Lazer R$ 400 2 saídas de fim de semana por mês
Vestuário R$ 300 8 peças de roupa/calçado por mês por 
Higiene R$ 200 produtos de higiene e limpeza
Transporte R$ 400 4 passagens por dia x 25 dias por semana, ao preço médio de R$4
Previdência Social  R$ 500 11% de contribuição para INSS
TOTAL R$5.000

Fica comprovado que, para cumprir com a Lei e atender às necessidade vitais de uma família trabalhadora o salário mínimo vital, que defendemos que seja deliberado pelas organizações dos trabalhadores, não poderia ser de menos de R$5 mil.

É óbvio que uma reivindicação fundamental como essa não pode ser conquistada por meio do voto em eleições fraudulentas como as que estão em curso, e por meio de medidas parlamentares ou judiciais, é preciso uma grande mobilização da classe operária e das suas organizações de luta. Começando por uma campanha que denuncie o valor miserável do salário atual, que evidencia a enorme riqueza do País, construída pela classe trabalhadora que recebe um dos mais baixos salários do Mundo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas