Boulos-Erundina
Novamente a imprensa golpista aparece rasgando elogios desproporcionais para a chapa Boulos-Erundina
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
boulos-e-erundina-3
Boulos e Erundina cumprem um papel fundamental para fortalecimento da direita golpista | Imagem: reprodução

Nesta segunda-feira (10/08), o portal da internet UOL, pertencente ao grupo golpista da Folha de S.Paulo, publicou uma longa matéria elogiando e contando de maneira entusiasta a história da candidata a vice prefeita pelo PSOL e Guilherme Boulos da cidade de São Paulo.

Segundo a própria matéria, teria sido realizada uma entrevista por 1h30min para que a candidata do PSOL Luiza Erundina contasse sua história de vida e tivesse grande destaque. “Desbancou poderosos da política na disputa pela prefeitura de São Paulo, como o ex-prefeito Paulo Maluf (PDS), o candidato do então governador Orestes Quércia, João Oswaldo Leiva (PMDB), e o ex-governador José Serra (PSDB)”, relata a matéria, esquecendo que era candidata do PT no período.

A rasgação de seda realizada por um órgão de imprensa golpista, responsável pelo golpe em 2016, perseguição ao PT e Lula, e que é responsável direito pela subida de Jair Bolsonaro a presidência da República chama a atenção e deve ser analisada com extremo cuidado.

Isso porque a burguesia realiza uma série de manobras para que o golpe iniciado no período anterior à derrubada de Dilma Roussef continue se desenvolvendo no sentido dos ataques aos trabalhadores. Essa bajulação da imprensa golpista como a Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo e Revista Veja mostra que a chapa Boulos-Erundina é uma peça das manobras da burguesia para isolar setores do PT batizado de Lulopetismo.

Isso é importante colocar porque Boulos faz parte da esquerda que procura fortalecer a frente ampla com setores que deram o golpe e são responsáveis pelo ascenso de Bolsonaro, como o centrão formado por FHC, Rodrigo Maia, José Sarney e até Michel Temer, como plataformas controladas por “ex” banqueiros e figuras do PSDB como “Somos 70%” ou “Direitos Já”.

Luiza Erundina é uma figura tradicional da política que correu para os braços da direita ao ter entrado no ministério de Itamar Franco, rompido à direita com o PT e entrado no PSB, partido burguês direitista, sido candidata ao governo de São Paulo tendo Michel Temer como vice, e atacando duramente a greve dos trabalhadores da antiga CMTC contra a privatização quando foi prefeita.

A burguesia escolheu sua chapa para a esquerda pois sabe que precisa de elementos para implementar sua política da frente ampla, ou seja, colocando toda os trabalhadores e a luta contra o golpe e Bolsonaro à reboque da burguesia golpista que em nada diverge com a política de Bolsonaro.

Aqui não é questão de falar mal de Guilherme Boulos ou Luiza Erundina, mas o caráter dessa chapa nas eleições e qual o seu papel. Os elogios desproporcionais da burguesia com a chapa Boulos-Erundina evidenciam o que estamos afirmando. Inclusive porque esse papel que o PSOL está cumprindo não é novo. O PSOL tem servido como instrumento da burguesia para dividir e confundir o eleitorado que tendencialmente votaria no PT para facilitar a vitória dos candidatos da direita. Foi assim com Heloísa Helena, Luciana Genro e Marcelo Freixo em outras oportunidades de ofensiva da direita contra o PT e os trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas