Siga o DCO nas redes sociais

Reportagem
Por dentro do Réveillon Vermelho, a maior festa da esquerda nacional
Muita música, companheiros de todo o País. Comida e bebida da maior qualidade. Veja como foi e o que acharam as pessoas que participaram da festa da luta contra o golpe
IMG_7319 b
Reportagem
Por dentro do Réveillon Vermelho, a maior festa da esquerda nacional
Muita música, companheiros de todo o País. Comida e bebida da maior qualidade. Veja como foi e o que acharam as pessoas que participaram da festa da luta contra o golpe
Réveillon Vermelho teve 3 shows e muita música latino americana: Arquivo DCO 2020
IMG_7319 b
Réveillon Vermelho teve 3 shows e muita música latino americana: Arquivo DCO 2020

Nesta terça (31), o Réveillon Vermelho, organizado há quase 20 anos pelo Partido da Causa Operária (PCO), reuniu pessoas de todas as partes do país em São Paulo para celebrar a passagem do ano. A redação do DCO esteve presente para acompanhar esta festa, maior da esquerda nacional e que celebrou a luta contra o golpe neste ano, reunindo integrantes do PCO e simpatizantes (famílias, amigos, companheiros de outras organizações de esquerda).

Logo na entrada da atividade, via-se uma recepção agradável, de companheiros que encaminhavam os recém-chegados para a escolha de suas mesas, que incluíam as opções de térreo e 1º andar. Ao caminhar pelo salão, repleto de iluminação colorida, no fundo do palco e na parede de fundo do salão 2 grandes telões exibiam uma apresentação de fotos de atividades do PCO neste ano, destacando a organização e participação do partido nos atos nacionais em Curitiba pela liberdade de Lula e dos atos das greves da Educação pelo fora Bolsonaro.

Após acomodar-se, eram oferecidos aos presentes uma ampla gama de comidas, que iam de entradas, petiscos, aperitivos, saladas, carnes e acompanhamentos variados, o tradicional pernil e sobremesas que iam de sorvete e pudins, passando por tortas e mousses. Também, bebidas desde água, suco, refrigerantes, cerveja a espumantes e vinhos. Destaque para um dos sucessos da festa: os drinks, servidos num espaço próprio e com um cardápio que incluía mais de 10 opções.

Somados aos comes e bebes, vieram as atrações culturais, incluindo a cantata sobre a massacre de Santa Maria de Iquique, apresentado por Miriam Mirah e pelo grupo Sendero, a exibição da banda Revolução Permanente e do grupo Mayombe. Entre os intervalos de uma e outra apresentação, ocorria o sorteio de prêmios, que foi de camisetas, livros, acessórios eletrônicos a um celular de modelo atual.

Perto do momento da virada do ano, os presentes se agruparam perto do palco para ouvir o discurso do companheiro Rui Costa Pimenta, presidente do PCO. Em sua fala, destacou a luta do partido e dos comitês neste ano, os avanços da organização e os atos nacionais pela liberdade de Lula, que contribuíram decisivamente para sua soltura, bem como as perspectivas para o próximo ano, com foco total à campanha pela derrubada de Bolsonaro e todos os golpistas.

Bastante aplaudido, aos gritos de fora Bolsonaro ecoando no público, foi feita a contagem regressiva para a virada do ano. Atingida meia-noite, iniciou-se o show de fogos e os presentes saíram do local para acompanhar alguns minutos de explosões coloridas e comemorar o ano novo saudando uns aos outros os companheiros que travaram a luta contra o golpe em 2019.

No retorno ao salão, os pratos principais, que iam de medalhão de mignon à pernil, foram dispostos na mesa principal aos presentes, seguidos de uma grande variedade de sobremesas e música dançante, que durou até as 3h do dia 1º de 2020.

Confira alguns depoimentos dos presentes:

Pedro – Londrina-Paraná

“O réveillon vermelho do PCO foi uma surpresa para mim, no nível de organização e qualidade da festa. Comida de primeira, local super aconchegante e bebida das melhores.
É o segundo que passo com o partido, o primeiro foi em Curitiba no boicote ao presidente ilegítimo Bolsonaro, em frente a carceragem da polícia federal, masmorra de Sérgio Moro.
Esse, diferente do primeiro, foi um de comemoração e de otimismo. Uma confraternização de alto nível que é o fôlego necessário à militância para a jornada que será 2020. Com esse réveillon o impulso dado para colocarmos o povo na rua e o Bolsonaro para fora foi conquistado. Ontem na festa, amanhã nas trincheiras da luta.”

Arthur – Palhoça-Santa Catarina

Este foi meu primeiro réveillon do partido. Sempre li a respeito na imprensa tanto do partido quanto a burguesia (devido a grande repercussão da festa) que esta era uma festa diferenciada, com bastante qualidade e alto nível.

Porém, agora estando presente no evento percebo que na realidade tudo é melhor do que eu imaginava. Este réveillon contou com belíssimas atrações, principalmente a Cantata de Santa Maria de Iquique, que me surpreendeu muito.

As comidas também eram fartas e a bebida com grande diversidade. Contudo, creio que o maior destaque se deve a grande organização do partido e o seu crescimento durante o ano. 2019 foi o ano do PCO, estando presente sempre na vanguarda da luta popular no país e este belíssimo réveillon é a cereja no bolo para fechar um ano de muita luta, que sofremos duríssimos ataques do governo Bolsonaro, mas que ao mesmo tempo o partido teve um crescimento nunca antes visto.”