Por defender Lula, Gleisi Hoffmann será julgada pelo STF

CUT REÚNE LIDERANÇA EM DEFESA DE LULA

O STF (Supremo Tribunal Federal), que é uma peça fundamental do regime político golpista no Brasil, anunciou que na próxima terça-feira (19/6) irá julgar por crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro a senadora e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann.

Um processo farsesco alimentado pelas delações premiadas de réus confessos, como o doleiro Alberto Youssef que sob a garantia de receber benefícios pelos crimes que cometeu, acusou petistas para que o juiz Sérgio Moro, amigo dos tucanos, pudessem promover a perseguição política a esquerda nacional.

O agendamento do julgamento criminal de Gleisi pelo ministro golpista do STF Ricardo Lewandowski acontece no momento de maior pressão da burguesia contra o PT para que a candidatura de Lula à presidência da República não seja registrada nas eleições de 2018.

Desde a época do início do golpe de estado, Gleisi Hoffmann vem se destacando como uma das mais atuantes parlamentares do PT contra os golpistas, a ponto de ser escolhida por 61% do votos dos filiados do partido para presidir a legenda.

Também possui a mais alta confiança de Lula, que minutos antes de se entregar para ser preso pelos golpistas da operação criminosa “Lava Jato”, nomeou-a sua porta voz para todos os assuntos partidários e políticos no país.

Essa posição, que vem sendo realizada com muita firmeza pela senadora, rendeu a Gleisi ataques dentro do partido e de toda imprensa golpista no país.

Como não poderia ser diferente, o STF que jogou a Constituição Federal do Brasil na lata do lixo, ao ignorar o princípio constitucional da presunção de inocência no caso de Lula, agora direciona toda sua artilharia para a figura política mais importante do PT na atualidade, depois de Lula, a da senadora Gleisi Hoffmann.

O julgamento de Gleisi, marcado para a próxima semana (19/6), deixa mais uma vez a evidência de que os golpistas não deram o golpe no país, retirando do poder uma presidenta eleita, sem nenhum crime, para entregá-lo em seguida pelas vias institucionais.

A perseguição política a Lula não é pessoal, mas está calcada na necessidade que os golpistas tem de estabilizar seu governo pró-imperialista, e portanto, qualquer um que se coloque contra isso será acusado, preso ou até morto.

O crime de Gleisi Hoffmann é o de lutar contra o golpe, de denunciar os golpistas, de exigir a Liberdade de Lula e de defender que o PT vá com a candidatura de Lula para presidência da República até o fim.

Diante disso, todos aqueles que lutam contra o golpe devem denunciar mais essa perseguição política a um dirigente do PT e se organizar através dos comitês de luta contra o golpe para mobilizações de rua.

Somente a mobilização popular, sindical com caráter anti-golpista poderá botar um freio nesses ataques aos direitos de toda classe trabalhadora brasileira.