Privatizações em cheque
Metade dos entrevistados são contra a privatização da Caixa e 57% discordam com a entrega da Petrobrás
arton21109
Estatais | Foto: Reprodução
arton21109
Estatais | Foto: Reprodução

Pesquisa realizada pela revista Exame, em parceria com o Ideia, instituto especializado em opinião púbica, em relação à venda da Caixa Econômica Federal e sobre a venda da Petrobras confirmam o que esse Diário vem sistematicamente defendendo: que a maioria da população é totalmente contra a venda das empresas estatais.

No caso da Caixa, metade dos entrevistados (49%) se colocaram contra a venda da empresa e, sobre a Petrobras, 57% discordam em relação à privatização.

As empresas estatais são alvos deste governo, fruto de um golpe de Estado, financiado pelos grandes capitalistas e banqueiros nacionais e internacionais e pelo imperialismo, que tem como objetivo principal expropriar todos os trabalhadores e a população, para salvar meia dúzia de capitalistas da gigantesca crise capitalista, que se aprofundou com a pandemia do coronavírus.

O governo golpista tenta, mais uma vez, dar um golpe nos trabalhadores e na população, como no caso da MP que atinge diretamente a Caixa Econômica. A Medida Provisória nº 995/2020, autorizando as subsidiárias da Caixa Econômica Federal (CEF) a incorporar ações de outras sociedades empresariais, isso abre caminho para a venda e desmonte dessa estatal brasileira.

Sem licitação, essa medida significa que o governo vai arrumar um sócio para dividir os lucros da Caixa. Os novos sócios vão encontrar tudo pronto, clientes, a mão de obra e a infraestrutura do banco. O lucro dessas subsidiárias da Caixa que é o lucro do Estado, da União, que tem como finalidade fundamental o investimento em programas sociais, como educação, saneamento, cultura, seguridade social, entre outras áreas, irá diretamente para o bolso dos capitalistas.

Neste sentido, a ofensiva reacionária da direita contra os trabalhadores em geral, e em particular das empresas estatais, precisa ser respondida a altura através das mobilizações e da organização dos milhares de trabalhadores, em defesa das empresas estatais com uma palavra de ordem que unifique: Fora Bolsonaro e todos os golpistas. As entidades de luta dos trabalhadores devem organizar, imediatamente, plenárias dos trabalhadores em todos os estados e chamar um congresso dos trabalhadores das estatais, com o objetivo de derrotar a ofensiva reacionária contra os trabalhadores através dos métodos tradicionais de luta da classe operária: greves, ocupações de empresas, etc.

Relacionadas
Send this to a friend