Em memória de George Floyd
População holandesa, contra política da direita de confinamento e em meio à pandemia, se reúne nas ruas de Amsterdã, demonstrando profundidade da crise política
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
REUTERS/Eva Plevier
Capital holandesa desafiou quarentena para manifestar repúdio ao assassinato de George Floyd | REUTERS/Eva Plevier

Mesmo em meio às restrições provocadas pela pandemia do coronavírus, a população de Amsterdã saiu às ruas para protestar contra o racismo e em memória do americano George Floyd, morto pela polícia americana com requintes de crueldade.

A ocorrência da manifestação gerou críticas por parte da comunidade médica holandesa e também de  políticos como o direitista Klaas Dijkhof, do VVD (Partido Popular para a Liberdade e Democracia, na sigla em neerlandês), que declarou “não apenas estar bravo, mas preocupado com as imagens tiradas de Amsterdã”.

Em todo o mundo, dezenas de milhares de pessoas tem desafiado a política imperialista de quarentena forçada em demonstrações que evidenciam a crise do regime político vigente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas