Política golpista: não param de crescer os números de morte infantil e materna

mortalidade

Da redação – A mortalidade infantil e materna voltou a crescer no Brasil do golpe. O alerta veio da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que apontou para o aumento do número de mortes maternas, infantil, de agressões contra mulheres e jovens, levando ao óbito, uma situação que foi ainda maior no Norte e Nordeste, segundo o Ministério da Saúde.

Os dados demonstram um histórico de queda no governo anterior ao golpe, entre 2010 e 2016, quando as taxas de mortalidade infantil e materna.

A entidade revelou que o número total de mortes infantis no Brasil, diminuiu no período entre 2015 e 2016, chamando a atenção também para os dados sobre mortalidade por agressões em adolescentes e adultos jovens. Sobre a mortalidade materna, que teve redução de 43% entre 1990 e 2015, também aumentou em 2017 após o golpe. Os números subiram de 62 mortes por 100.000 nascidos vivos para 64 por 100.000.