Política dos golpistas faz Brasil retornar à extrema pobreza dos anos 1990

miseria

Da redação – Segundo levantamento da “ActionAid Brasil”, organização ligada à ONU (Organização das Nações Unidas) nos últimos três anos, o país voltou ao patamar de 12 anos no número de pessoas em situação de extrema pobreza. Ou seja, mais de 10 milhões de brasileiros estão nessa condição. As pessoas em situação miserável e as que passam fome pertencem praticamente ao mesmo grupo, indicando que o Brasil do golpe está voltando, também, para o mapa da Fome.

“Isso nos leva a crer que aquela correlação pobreza versus fome sugere fortemente que o País já está, neste momento, numa situação ruim, que deve aparecer com os dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares — POF — do final de 2018.”, diz o economista e pesquisador do IBASE (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas), Francisco Menezes.

A extrema pobreza triplicou em um ano no estado do Rio de Janeiro por conta do enorme número de desempregados. Contudo, muito mais que o Sudeste e Sul, o Nordeste é o que mais sente com a crise e a elevação do desemprego causados pelo governo golpista.

Menezes salienta a correlação entre o aumento da miséria, da fome e a aprovação da “PEC da maldade” e a drástica diminuição dos serviços sociais, como o programa Bolsa Família – segundo dados do próprio governo, 1 milhão e 500 mil famílias foram cortadas.