Latifúndio afeta cidades
População brasileira além de morrer pelo coronavírus ainda terá que arriscar sua vida respirando fuligem. Descaso do governo provoca genocídio.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Fogo-Pantanal-BR-262-Foto-Chico-Ribeiro-126-Copia
Queimadas no Pantanal causam nuvem de fuligem. | Foto: Reprodução

Com possibilidade de acontecer em São Paulo, o fenômeno da “chuva negra” resulta da chegada da fumaça das queimadas do Pantanal que se junta à alta carga de poluição atmosférica produzida na cidade.

O que é a “chuva negra”

Os incêndios lançam à atmosfera fuligem e material particulado, que são partículas muito finas de sólidos ou líquidos que ficam suspensas no ar, além de gases como monóxido (CO) e dióxido de carbono (CO2). As correntes aéreas, no entanto, arrastam a fumaça desde os focos da queimada, hoje principalmente no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, até outras regiões.

Partículas mais pesadas sedimentam no caminho, mas boa parte da poluição é transportada por centenas de quilômetros. Em região de influência de deslocamentos de correntes de ar, São Paulo acaba recebendo parte dessa carga poluente, que pode bifurcar e chegar a Estados da Região Sul ou à Argentina.

Política do latifúndio afeta cidades

O meteorologista Alexandre Galvão explica: “A chuva sempre lava a atmosfera, ela leva a poeira, poluição, eventual fuligem, todo material particulado que estiver na atmosfera. Então a chance de chuva escura é maior nas primeiras chuvas previstas”.

Como já se sabe os incêndios que a Amazônia e o Pantanal vem sofrendo, não são espontâneos, como querem que as pessoas acreditem.

São irregulares e por sua vez, são criminosos, feitos por latifundiários com aval do governo fascista de Bolsonaro, que tem muito interesse por trás de tudo isso, pois governa para os ricos, ou seja, basicamente para os banqueiros, donos de mineradoras e latifundiários.

Além da pandemia, população tem que respirar fuligem

Não bastasse o problema da doença em que apenas nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 826 mortes em virtude de infecção pelo coronavírus e no total, são 135.587 óbitos desde o começo da pandemia, os moradores também são obrigados a respirar a fuligem, uma carga poluente altamente tóxica e danosa para a saúde.

Finalmente, é preciso deixar claro que não são as questões climáticas que terminaram na atual situação da “chuva negra” nas cidades, mas sim o descaso do governo, na verdade se vê um verdadeiro interesse de genocídio da população.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas