Policial evidencia o caráter fascista da PM: “Não tenho cerimônia em quebrar cara de mulher”

policial-agride-mulher

Na noite de terça-feira (5), a Polícia Militar fascista usou bombas e balas de borracha contra cidadãos que estavam aproveitando o carnaval, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, deixando ao menos três pessoas feridas.

As vítimas da truculência da PM afirmam que o bloco Agora Vai já tinha se dispersado quando foram surpreendidos com a violência desse  braço armado do Estado burguês, na ocasião uma mulher foi ameaçada por um policial que disse: “Aponta o dedinho não, se aproxima não. Você vai tomar um atropelo aqui, estou falando para você, toma distância. Não tenho nenhuma cerimônia em quebrar cara de mulher, não. Você presta atenção.”. Na delegacia, a própria policia se negou a registrar a arbitrariedade.

Isso evidencia, sem dar margem a dúvidas, o caráter fascista, miliciano, paramilitar da polícia brasileira. Que “trabalha” para a classe dominante e as camadas mais próximas desta na direção de esmagar a população pobre, negra e feminina.

É preciso lutar pela autodefesa organizada das mulheres com a criação de comitês de autodefesa, pois nada podemos esperar dessa polícia do que o esmagamento sistemático das organizações operárias e populares, principalmente após o golpe de Estado dado em Dilma Rousseff e agora com o governo fraudulento e de extrema-direita de Bolsonaro, que só foi “eleito” por retirar a pessoa mais popular do país e único com poder popular real: Luiz Inácio Lula da Silva. Onde, nesse atual governo ilegítimo, o próprio governo incentiva essas ações, isto é, dá carta branca para a polícia matar, estuprar, saquear e torturar a população.

E também é preciso lutar pela dissolução da polícia burocrática burguesa (Polícia Militar, Civil e Federal) que estupra as mulheres, as agride e as mata e substituir por uma política de formação de milícias populares, controlada totalmente pela população, através de conselhos de bairros para elegerem quem fará sua segurança.

Abaixo a essa herança da ditadura militar, assassina e estupradora, por uma segurança social amplamente democrática e controlada pela própria população!