Crise norte-americana
O desespero da burguesia norte-americana frente aos protestos cada vez mais radicalizados da população fez com que a Câmara Legislativa falasse em “desmantelar a polícia”
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
eua
Os protestos nos EUA, como no mundo todo, vem sendo o centro do cenário político mundial. | Foto: Reprodução.

Nessa semana surgiu a notícia na imprensa burguesa que a Câmera Legislativa do estado de Minneapolis redigiram um ofício a proposta de “desmantelar” a polícia, substituindo-a por outra força armada que até agora não sei sabe qual.  

O que chama a atenção é que depois de semanas de protestos extremamente radicalizados, o poder público onde se encontra o estopim da mobilização que tomou os EUA tenha saído a campo para propor a “dissolução” da polícia civil norte-americana.  

A pressão das massas fizeram o órgão extremamente reacionário que são essas Câmeras Legislativas a nível estatual, parte do aparato estatal da burguesia imperialista norte-americana, tenha que ter aparecido com uma reinvindicação popular, ao menos na boca. 

Certamente, não dá para saber o que está acontecendo porque a informação é escassa até agora. Mas evidencia um aspecto chave do tabuleiro político mundial: o quão coerente é a mobilização popular para a vitória política das massas sob seus opressores e algozes.  

O estopim das mobilizações nos EUA foi a revolta contra a violência policial sobre a população negra e trabalhadora, que vinha crescendo exponencialmente na medida em que a crise do imperialismo, a crise do capitalismo mundial, se aprofundava. Uma clara tentativa, a da coerção, de impedir um levante generalizado das massas oprimidas contra o desemprego crescente, a carestia e ao próprio regime político.  

O país se viu durante semanas literalmente em chamas, em mais de 200 cidades a mobilização se alastrou e dominou o país, aprofundando drasticamente a crise do carcomido e ossificado regime norte-americano. E a população sublevada pressionou a burguesia a tal ponto de a classe parasitária do povo ter que encontrar uma saída para seu aparato de repressão.  

A situação está em aberto nos EUA, e a saída verdadeiramente democrática se encontra no impasse de aprofundar a mobilização. Organizá-la em todos seus pontos. Dar a ela mais objetivos e ainda mais políticos. Deve-se atentar para que a dito “desmantelamento” da polícia não seja apenas uma manobra para encerrar as manifestações: é necessário permanecer e ampliar.  

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas