Mesmo de folga ela mata
A policia militar é uma arma de extermínio da população pobre que mesmo de folga não para de trabalhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
PRESIDENTE PRUDENTE, SP, BRASIL, 12-06-2013: País em Protesto: policiais da ROTA, durante abordagem de pessoas após ameaças a autoridades. promotores e juízes, em Presidente Prudente (SP). Ameaças a autoridades feitas por uma facção criminosa levaram a Rota (Tropa de Elite da Policia Militar), a enviar quase 80 homens para a região oeste do Estado do São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
PMs da ROTA fazendo a única coisa que sabem: aterrorizar a população | Foto: Reprodução

Um Policial militar de folga reagiu a uma suposta tentativa de assalto e matou uma pessoa em frente a um shopping em São Paulo. O PM estava à paisana quando foi abordado aparentemente por três assaltantes na noite de quarta (28) em frente ao Shopping Cantareira. Um dos suspeitos foi baleado e morreu. Os demais fugiram.

De acordo com o 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, publicado no último dia 18/10 pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), no Brasil, 6.357 pessoas morreram vítimas de violência policial no ano passado. Dessas, oito a cada 10 (79,1%) são negras. Além disso, 99,2% são homens e 74,3%, jovens de até 29 anos.

A “licença para matar” prometida pelo presidente ilegítimo, Jair Bolsonaro, na época de campanha, já é, na prática, desfrutada pelos agentes da repressão. À época, o então candidato do PSL prometia que as mortes cometidas por policiais em serviço sequer seriam investigadas em um futuro governo seu, acrescentando que o agente nem precisaria estar de serviço.

As mortes por policiais crescem ano após ano. De 2013 até 2020 os números aumentaram em 288%. O documento mostrou ainda que, no primeiro semestre de 2020, as mortes provocadas por intervenções policiais cresceram 6% em números absolutos, vitimando 3.181 pessoas.

Todo o aparato da justiça do Estado burguês (juízes, leis, polícia) os mecanismos de repressão são instrumentos arbitrários contra a população pobre, os ditos marginais. Essa é a realidade das periferias das cidades brasileiras.

Nesse sentido a reivindicação do armamento da população, que a população tenha condição de se defender das barbaridades cometidas por PMs de serviço ou não. Outra imposição popular é o fim da policia militar e a construção de milícias populares uma polícia do povo para o povo.

Tais reivindicação só pode ser alcançadas produto da organização e das mobilizações populares pelo Fora Bolsonaro.  As organizações sociais e toda esquerda, devem não só denunciar essa instituição fascista que é a polícia  que tem como  alvo principal a população negra  e pobre, como também tem que exigir através de mobilização popular nas ruas a imediata extinção da polícia militar  é necessário organizar grupos de auto defesa contra a direita e a extrema que estão impondo aos trabalhadores um regime autoritário.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas