EUA
O tenente Brady disse que Reinoehl estava com uma arma, mas, acrescentou na sexta-feira que “não podemos confirmar neste momento se ele disparou”.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
img_1200x12002010_07_01_13_30_00_257193
Bandeira dos EUA | Foto: Reprodução

Os EUA estão à beira de uma guerra civil. Neste momento estão surgindo grupos de extrema-direita fortemente armados para ajudar a polícia a atacar os manifestantes. Em fase avançada da guerra contra a população negra e trabalhadora, a polícia comete execuções sumárias, políticas, contra os manifestantes, claramente defendendo os fascistas e agindo exatamente como fascistas.

A polícia assassina de Trump atiraram e mataram Michael Forest Reinoehl na quinta-feira enquanto se moviam para prendê-lo pelo assassinato de um ativista de direita que fazia parte de uma caravana pró-Trump em Portland, Oregon. O suspeito, Michael Forest Reinoehl, 48, foi baleado por policiais de uma força-tarefa comandada pelo governo federal durante o encontro no estado de Washington, de acordo com o US Marshals Service.

A caça e assassinato de Reinoehl foi “justificada” pelos agentes que, alegam auto-defesa. “Relatórios iniciais indicam que o suspeito portava uma arma de fogo, ameaçando a vida de policiais”, Marshals Service disse em um comunicado. “Os membros da força-tarefa responderam à ameaça e agrediram o suspeito que foi declarado morto na cena.” Contudo, o tenente Brady disse que Reinoehl estava com uma arma, mas acrescentou na sexta-feira que “não podemos confirmar neste momento se ele disparou”.

Dessa forma, houve perseguição seguida de morte. Ray Brady, do gabinete do xerife do condado de Thurston, disse que o suspeito procurado saiu de um apartamento e entrou em um veículo. Mas, se não houve disparo de Reinoehl como disse o Tenente Brady, mentiram os agentes alegam que, a morte se deu durante tiroteio, uma reação, portanto.

A morte poderia ser evitada, mas havia intensão de matar Reinoehl. Um mandado de prisão por assassinato foi obtido pela Polícia de Portland através do Tribunal de Circuito do Condado de Multnomah, Oregon, na quinta-feira anterior, no mesmo dia em que o Vice News publicou uma entrevista com o Sr. Reinoehl na qual ele parecia admitir ao 29 de agosto, tiroteio, dizendo: “Não tive escolha”.

A polícia de Portland estava investigando o tiroteio no sábado de Aaron J. Danielson, um dos apoiadores do Presidente Trump que veio ao centro de Portland e entrou em confronto com protestantes que se manifestavam contra a injustiça racial e a brutalidade policial.

Reinoehl, que morava na área de Portland, tinha sido uma presença persistente nas manifestações da cidade nas últimas semanas, ajudando os manifestantes com segurança e sugerindo nas redes sociais que a luta estava se tornando uma guerra onde “haverá baixas”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas