Violência policial
PM da Bahia espanca e prende jovem por pilotar sem carteira, usando de extrema violência em uma mera ocorrência de trânsito, uma questão burocrática.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Blitz da PM em Salvador
Blitz da PM em Salvador age com extrema violência contra motoqueiros, principalmente. | Foto por: reprodução.

A Polícia da Militar da Bahia espancou e prendeu um jovem, menor de idade, na última quarta (21) no bairro do Cabula, em Salvador. Os policiais pararam o jovem que estava de moto e seu irmão e teriam identificado que ele estava sem habilitação para pilotar. A partir de vídeos feitos pelo irmão do jovem e de pessoas que estavam na rua foi possível ver a ação violenta dos policiais.

O jovem foi ameaçado diversas vezes pelos policiais, ao invés de ser orientado, nos vídeos se ouve os policiais ameaçarem o jovem diversas vezes:

“Sua moto vai e, se você tirar mais onda aí, você vai cair no pau e eu vou te levar para delegacia. Duvide aí, duvide aí”.

“Acabou, ligue para quem você quiser. Fale mais aí. Vá para a mala, na presença de todo mundo. Vou botar ele na mala ali e vou levar ele para a delegacia por desacato. Acabou. Não tem muita história não”.

O jovem fala que teria perdido a sua habilitação e que não precisavam prender a moto e nem utilizarem de violência, assim como as pessoas na rua que presenciaram toda a ação, também afirmaram.

Entretanto, após instaurada uma discussão, como se vê nas palavras dos policiais decidiram por acabar com a situação determinando a prisão do jovem por desacato, o qual teria se negado, pelo que foi enforcado e espancado pelos policiais.

A ação registrada nas ruas de um bairro popular de Salvador é apenas mais uma da típica violência da PM, que utiliza qualquer argumento para espancar e prender, principalmente jovens e negros. Na ocorrência os policiais justificaram que “é crime, dirigir sem carteira” porém, esse é apenas um argumento para acabar uma ocorrência usando o poder da violência.

A PM tem sido utilizada pela burguesia para aumentar a repressão contra a população durante a pandemia, atacando cotidianamente a classe trabalhadora que está enfrentando uma situação lastimável com a pandemia do coronavírus, com as demissões em massa e o fim dos programas sociais. Assim, a polícia cumpre o papel de conter a revolta da população explorada, por isso, até em situações banais como uma ocorrência de trânsito, tem se utilizado a PM e seus esquadrões especiais, os esquadrões da morte.

A pandemia tem sido utilizada pela burguesia para cassar os direitos democráticos da população, tanto de formalmente, com leis, decretos e normas, como de fato, no dia a dia das ruas, e para isso o papel das forças de repressão, PM e guardas municipais, tem sido fundamental para a classe dominante.

Desta forma, a única política que confronta essa lógica e leva à população uma proposta para resolver a violência que recai sobre a classe trabalhadora é a extinção da PM e de todas as polícias, a criação de comitês populares de autodefesa aonde os próprios moradores de uma rua, de um bairro, sejam os responsáveis por garantir a sua própria segurança.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas