Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bhgh
|

Um levantamento acerca do número de mortes por parte da Polícia Militar, reafirma que a existência da policia serve apenas como uma máquina de matar a população pobre do país e que em sua maioria é composta por negros.

Segundo os dados, os números de 2017 se demonstraram maior do que o ano anterior, e que consequentemente o número de policiais assassinados diminuiu, mas o que se sabe é que esse número é muito maior sabendo o modo de atuação dessa organização.

O número divulgado (mais de cinco mil mortos pela PM em 2017) que se soma à realidade concreta vivida pela população nas comunidades do Rio de Janeiro, estado que hoje vive sob intervenção militar e que desde então já sofreu com inúmeras ações truculentas e chacinas de inteira responsabilidade da polícia do estado.

Um dos pontos defendidos pela imprensa golpista para dar respaldo a esse contexto do aumento de morte pela policia, afirma que muitas mortes foram em confronto -constatou-se que nesses casos houve o aumento de 19%- ou seja, propriamente dito, os que morreram “eram bandidos”. A ação da polícia serve para a manutenção do estado burguês em troca do esmagamento da população pobre, assim como defende a direita fascista.

A Polícia Militar do Brasil está dentre uma das mais violentas existentes, uma corporação que tem um verdadeiro terror diário contra a população. É preciso pôr fim a essa organização repressiva que somente massacra população já imensamente atacada pelo estado burguês. A única maneira é suprimir a Polícia Militar e organizar milícias populares.

Somente a população deve fazer sua própria segurança, criar milícias populares em cada bairro, categoria e organização. É preciso organizar a autodefesa dos trabalhadores e da população de conjunto, contra a máquina de matar que produz mais mortes que uma própria guerra.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas