PM fascista prende professor por se posicionar contra Bolsonaro em discussão informal no ES

20090909MS

Um professor de português do Espírito Santo (ES) foi levado à delegacia por supostamente ter agredido verbalmente uma colega de trabalho. Em discussão informal com colegas, o professor estava mostrando um vídeo em que Bolsonaro pede aos alunos denunciarem os professores que estiverem falando de política, como forma de fortalecer as milicias de extrema-direita a favor da censura e da Escola Sem Partido.

O professor falou que era um absurdo a política apoiada por Bolsonaro, denunciou que ele era um fascista e que todos seus eleitores também. A conversa foi interrompida por uma professora, que não estava participando da discussão, que bateu na mesa e mandou pararem de conversar sobre política. A professora acionou a Polícia, e em alguns minutos policiais chegaram para levar o professor de português para a delegacia.

A política demonstra a ofensiva da extrema-direita, da qual faz parte a Polícia Militar. A política de censura está aumentando nas escolas, e por isso os professores precisam se mobilizar junto com os alunos e formar comitês de luta contra o golpe para impedir que os professores sejam coagidos desta forma nas salas de aulas.