PM espanca e ameaça de morte um torcedor do Guarani em Campinas

torcedor

Da redação – A corporação assassina, PM, protagonizou mais um ato de violência descontrolada, espancando um torcedor do Guarani no acesso ao estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP), na noite desta segunda-feira (9). O caso foi registrado no 1º Distrito Policial como lesão corporal e resistência, alegação que a PM sempre utiliza para agredir e matar trabalhadores por todo o país.

“O (PM) que estava na catraca do lado falou: ‘Joga fora’. Daí eu falei: ‘É ele que está falando comigo’. Aí, ele pegou e já veio batendo”, contou o vendedor Rodrigo Carvalho Avelar, de 39 anos, que estava com a família próximo da catraca com uma lata de cerveja na mão quando foi abordado por policiais que faziam a segurança e a revista no local. O torcedor afirma ainda que estava tomando a bebida e disse aos PMs que terminaria de beber, mas logo começou a agressão.

Ainda segundo o depoimento da vítima à Polícia Civil, o mesmo foi levado para dentro do estádio e as agressões continuaram, chegando a ser ameaçado de morte.

“Depois, me algemaram e levaram numa sala lá dentro do Guarani e, aí, bateram sem dó em mim. Aí, eu fiquei lá, apanhei uma meia hora. Espancaram com cassetete, com chute, de tudo quanto é jeito. E eu algemado pra trás numa sala, foi um médico e deu um ponto na minha sombrancelha, fez uma tala no meu braço”.

Esse é o resultado direito do golpe de estado: o aparato repressivo da burguesia atacando os trabalhadores, batendo, matando e passando por cima da lei com a segurança de que não será punida. É preciso uma mobilização de massas para reverter essa situação, e dessa forma, os Comitês de Luta Contra o Golpe espalhados por todo o país, estão organizando a Conferência Nacional Aberta nos dias 21 e 22 de julho e convocando todos os trabalhadores para derrotar o golpe.