A rotina da PM
A violência policial não é algo isolado de um ou outro, mas uma política de Estado contra o povo pobre e negro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1563990130085
Foto de carros da PM de São Paulo | Foto: Reprodução

Em mais um episódio recorrente de violência policial, homem negro é arrastado para fora de sua casa por policiais militares no estado de São Paulo. O caso aconteceu nesta segunda (20) em João Ramalho, a 505 km da capital paulista.

Em um vídeo que está sendo amplamente divulgado nas redes sociais, um policial militar enforca pelas costas, em um golpe conhecido como “gravata”, enquanto uma mulher grita desesperada que o homem não consegue respirar e que não há razão para a violência na abordagem. Outra testemunha disse que o rapaz estava sendo retirado de dentro da residência de forma ilegal, sem mandado ou flagrante de delito.

A Secretaria de Segurança Pública disse que a vítima estaria trafegando com uma moto sem placa e ao ser abordado pela Polícia Militar, teria fugido, o boletim de ocorrência diz que após a perseguição, o homem teria sido alcançado pela PM em frente a casa em que ele aparece sendo enforcado.

São dois pesos e duas medidas, em uma ocorrência policial em Alphaville, bairro nobre de São Paulo, que também foi bastante divulgado em vídeo nas redes sociais , um homem branco e rico, ofende policias negros, ou seja, os capitães do mato tem um conduta de submissão com os patrões e de violência e intimidação com os explorados, isto é, nos bairros nobres são cordeiros e na favela leões.

Esse é modo operante da Polícia no Brasil e no resto do mundo, a conduta violenta é contra os pobres, periféricos. Seja nos Estados Unidos, no caso mundialmente conhecido do negro George Floyd, que foi sufocado e morto por policiais brancos, e o que acontece na periferias brasileiras de maneira sistemática e recorrente.

Dados de 2019 revelam, o Brasil teve ao menos 5.804 pessoas mortas por policiais no ano passado – um dado maior que em 2018. No mesmo período, 159 policiais foram assassinados – número bem menor que o do ano anterior. Com base nos dados oficiais de 25 estados e do Distrito Federal.

O Estado burguês, através de sua imprensa, tenta distorcer essa realidade, que a conduta é isolada, ou seja, é um desvio de conduta de policias que agem sem a orientação da corporação ( Policia Militar ), “laranjas podres” na PM, tentam esconder a norma que a Policia Militar é  uma máquina de exterminar o povo pobre e negro.

Essa atuação da policia na periferia aumentou de maneira exponencial no governo de Extrema direita de Jair Bolsonaro, que têm como lema “Bandido bom é bandido morto”. Isso fica claro não só nas incursos dos Capitais do Mato nos bairros pobres (PM), o procedimento é o mesmo nos presídios brasileiros, foco de maiores contágios pela covid-19, os presos de maneira desumana foram condenados à morte, pois continuam encarcerados sem tratamento adequado.

A única maneira de conter a violência policial é a dissolução da PM e a construção de milícias populares, uma policia do povo e para o povo. A polícia é um instrumento usado pela burguesia para controlar a insatisfação da população em relação em seus governos, por isso uma atuação nos bairros pobres e outra nos bairros ricos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas