Fim da Polícia Militar já!
Motocicleta de entregador de pedidos por aplicativo é apreendida em manifestação e desaparece dos registros da PM e do Detran.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bruno_motoboy_moto-apreendida
Entregadores em manifestação por melhores condições de trabalho na cidade de São Paulo. | ponte.org
Na última terça-feira (14), este diário denunciou ação criminosa da PM em Pinheiros, zona oeste da capital, São Paulo, onde policiais apareceram em vídeo, que viralizou na internet, sufocando um homem negro que trabalha como entregador de pedidos via aplicativo. Os mesmos policiais são denunciados agora pelo desaparecimento da motocicleta de um outro trabalhador da categoria que também participava do protesto que ocorreu naquele dia por melhores condições de trabalho.
Na semana passada viralizava mais um vídeo da violência policial contra o povo preto e trabalhador. Dois policiais aparecem tentando derrubar o entregador Jefferson André da Silva, 23 anos, que não resiste ir ao solo após ser estrangulado ao gritos de “não consigo respirar”. Já no solo um terceiro policial aparece ajoelhado sobre o pescoço do jovem trabalhador, os companheiros tentam se aproximar para ajudar o companheiro mas um quarto policial aparece ameaçando-os com uma arma.
Neste dia, Jefferson teve sua motocicleta apreendida e denunciou que foi torturado, na viatura que o conduziu para delegacia, com choques elétricos pelos policiais. Outro entregador, Francisco Bruno Brito da Silva, 26 anos, também teve sua moto apreendida e desde então tenta resgatar sua ferramenta de trabalho que estranhamente desapareceu dos registros da polícia militar e do Detran. Tudo indica que os policiais furtaram a motocicleta.
A ação da PM já se configura arbitrária por abordar os entregadores que estavam democraticamente se manifestando contra as jornadas de 12 horas e baixos salários. O fato de apreenderem as motos que são os meios de sustento destes trabalhadores e de suas respectivas famílias é uma imensa brutalidade em si. Depois de todas ilegalidades cometidas, de toda violência contra estes trabalhadores, ainda “somem” com a motocicleta de um trabalhador para aumentar sua desgraça.
A polícia do PSDB tem se tornado cada vez mais violenta e letal, avalizada pela justiça e incentivada pelo bolsonarismo. A polícia está se tornando praticamente o poder paralelo que aborda, julga e executa a sentença tudo junto. Não há limites para os crimes da polícia militar, uma organização que reprime, tortura e mata. Para acabar com a violência e assassinatos do estado contra a população pobre e trabalhadora do país é preciso o FIM DA POLÍCIA MILITAR JÁ!
Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas