PM bate em paciente no hospital e justifica que era para deixar a vítima mais “tranquila”

PMDFAGRIDE

Da redação – Na madrugada do último sábado, dia 7 de julho, a Polícia Militar conseguiu descer mais ainda seu baixo nível de despreparo e um PM foi flagrado agredindo um paciente dentro do Instituto Hospital de Base no Distrito Federal. Após o caso, a vítima, o mototaxista Aldnei José Ferreira da Silva, registrou ocorrência na Corregedoria da corporação pois, pelas imagens postadas em vídeo numa rede social, ele não ficou muito feliz com o “atendimento” recebido.

Segundo os bombeiros que o encaminharam ao hospital, foi alegado que o mesmo chegou “nervoso”, o que justificaria a agressão do policial que estava de plantão no hospital para deixar a vítima mais “tranquila”.

“Os bombeiros disseram que eu estava exaltado. O policial, então, perguntou porque eu estava assim. Eu disse que só queria ser atendido e que não estava exaltado. Ele pediu para eu calar a boca e, depois, me agrediu”, contou o mototaxista.

A situação fica ainda pior com os relatos do desenrolar dos fatos até a chegada do hospital, quando Aldnei começou a sentir dores fortes na região da clavícula após se envolver em um acidente com uma motocicleta, teria ligado para o Corpo de Bombeiros, mas foi informado de que não havia carro disponível para o socorro, decidindo assim ir caminhando até um quartel dos bombeiros para pedir ajuda. Durante o trajeto até o centro de saúde, o motorista da corporação teria parado para dar carona a um PM.

“Nesse momento, eu falei: ‘Vai parar para dar carona? Estou machucado. O rapaz disse que não tinha importância, que ele sabia o que estava fazendo” contou sobre o trajeto.

O policial militar, que pegou carona, desceu na Rodoviária do Plano Piloto, e, estranhamente, assim que ele chegou à unidade de saúde, o PM de plantão soube do ocorrido e foi tirar satisfação.

“Eu me senti um nada ali. Totalmente humilhado”, afirmou a vítima que recebeu golpes na região onde estava machucado.

A nova “modalidade” da PM passa a ser a agressão dentro de hospitais, criando a possibilidade de ser aplicado por pessoal sem qualquer preparo, uma grande vantagem pois pode ser realizado por qualquer agente de segurança sem qualquer curso ou conhecimento na área médica. O fantástico tratamento visto no vídeo, consiste em dar um tapa na cara do paciente com toda força possível, mas antes ele deve ser imobilizado para que o tratamento tenha melhores resultados e para que se evite efeitos colaterais do tipo uma reação inesperada do paciente. Caso o primeiro tapa não resolva outros tapas podem ser dados, o paciente acima levou três.

Segue abaixo o vídeo inaugural do novo método de saúde da família: