Repressão
PM reprime de forma violenta integrantes de Movimento por moradia que ocupavam uma área destinada ao Minha Casa Minha Vida
image-300x225
Prédio ocupado era destinado ao programa social |

No último domingo, dia 15 de setembro, a Polícia Militar de Palmas, Tocantins, agiu com extrema truculência contra a população integrante do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, MNLN, que ocupava um terreno na capital.

O terreno, localizado na Avenida LO 23, do Plano Diretor Sul, estava destinado para o Programa Minha Casa Minha Vida, mas foi concedido ao antigo proprietário pela justiça golpista.

O Movimento decidiu então ocupar a área, mas foi reprimido pela PM por volta das 10 horas da manhã. A repressão começou quando o proprietário do terreno começou a atear fogo contra os moradores. Um dos integrantes da ocupação foi resgatar a sua moto e acabou sendo abordado por 10 policiais. Outras pessoas que foram ajudar o morador também foram detidas, dentre elas um diretor da União Nacional dos Estudantes que estava na ocupação.

Até mesmo o advogado do movimento foi preso pela polícia. O caso demonstra o verdadeiro estado ditatorial que se impõe sobre o país. Somente a mobilização popular pode colocar abaixo essa ditadura contra os movimentos populares e o povo de um modo geral.

Relacionadas