Siga o DCO nas redes sociais

Privatização Banpará
Plano de demissão no Banpará: mais um passo para a privatização
PDV no Banpará é mais um ataque aos bancários e ao banco público
DSC_7458
Privatização Banpará
Plano de demissão no Banpará: mais um passo para a privatização
PDV no Banpará é mais um ataque aos bancários e ao banco público
Em defesa dos bancos públicos.
DSC_7458
Em defesa dos bancos públicos.

A direção golpista do Banpará (Banco do Estado do Pará) anunciou um Plano de Demissão “Voluntária” (PDV), endereçado apenas para os funcionários aposentados do INSS, que continuam trabalhando no banco, e que tenham mais de 20 anos de trabalho na empresa. O plano foi aberto para adesões no último dia 16 e vai até dia 15 de outubro.

O PDV no Banpará segue a mesma linha dos planos de demissões nos bancos públicos federais, Banco do Brasil e Caixa Econômica, realizado pelo governo ilegítimo/fascista, Bolsonaro, de intensos ataques aos trabalhadores, que já colocou no olho da rua dezenas de milhares de trabalhadores.

A perseguição, através de pressões, ameaças, etc. aos trabalhadores mais velhos do Banpará, para aderirem ao plano, vai no sentido de diminuir o custo na folha de pagamento e de enxugamento do quadro funcional da empresa com vistas à sua privatização.

O Banpará foi um dos poucos bancos estatuais que não foram privatizados na famigerada era FHC (PSDB) que privatizou a maioria desses bancos, e, agora, com o golpe, trazendo de volta os neoliberais da escola de Chicago, abriu-se uma nova etapa de privatizações.

Sempre é bom ressaltar que o Estado do Pará é controlado por um representante direto, Helder Barbalho, do que é mais atrasado e reacionário no cenário político do país: o coronelismo, que, em última instância, são subservientes aos interesses dos banqueiros internacionais, que querem a todo o custo confiscar o patrimônio do povo brasileiro.

Os trabalhadores bancários do Banpará não devem aceitar mais esse ataque dos patrões, e através das suas entidades de luta, organizar uma mobilização contra a política de destruição do patrimônio do povo do Pará, com vistas à sua privatização.