Piada pronta: Bolsonaro pede que seus oponentes “abandonem o ódio”

PoderIdeias-JairBolsonaro-Bolsonaro-Almoco-Paiantella-Poder360-08mai2018-FotoSergioLima

O golpista e ilegítimo presidente Jair Bolsonaro deu mais uma demonstração de seu total cinismo frente à  população e aos setores que começam a reagir à sua política de destruição das condições de vida do povo. Em uma declaração durante viagem a Brasília, Bolsonaro disse que seus oponentes devem “abandonar o ódio e cultivar a paz”. A fala do golpista é uma verdadeira piada, uma declaração grotesca. O golpista Bolsonaro tornou-se conhecido, nos últimos anos, justamente por pregar um discurso de violência e ameaça contra as organizações de esquerda e ao povo de um modo geral. Foram e ainda são inúmeras as declarações favoráveis ao extermínio da população pobre, à tortura, prisão de opositores, entre outras proferidas por Bolsonaro e sua escória direitista.

O agora tão “amável” Bolsonaro já declarou, por exemplo, ser favorável a metralhar a comunidade da Rocinha no Rio de Janeiro, ou seja, a levar a morte milhares de pessoas, pobres e negras, moradoras de periferia. O defensor do “cultivo da paz”, disse, durante a campanha eleitoral, que iria metralhar os petralhas, falou que a ditadura assassina brasileira, havia matado pouco e que deveria ter matado 30 mil pessoas; é um ferrenho defensor do carniceiro Brilhante Ustra, coronel torturador profissional do regime militar. Assim como o pai, o filhote fascista de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, também declarou que o futuro governo pretende prender 100 mil pessoas, todas elas ligadas aos movimentos populares e de luta da população explorada.

Finalmente, a declaração também demonstra uma preocupação da direita frente à inevitável reação popular que irá advir como resposta ao governo Bolsonaro e a sua política golpista de extinção dos direitos e de massacre do povo pobre e trabalhador.

Nesse sentido, o caminho correto é não cair na balela da extrema-direita, como já estão fazendo vários setores da esquerda pequeno-burguesa, os quais adotam uma política de aceitação do governo Bolsonaro, de desejar “boa sorte” aos golpistas. É preciso estimular a reação popular, ou seja, o repúdio do povo contra a direita golpista, Bolsonaro e toda a sua corja. É necessário ter claro que Bolsonaro não representa a maioria do povo, que foi impedido de votar em seu verdadeiro representante. É necessário combater Bolsonaro desde já, por meio da organização dos comitês de luta contra o golpe, levantar o Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula!