Contra os cortes
Nesta quinta-feira dia 20 de agosto, a população de Teresina realizou uma grande manifestação contra o corte no fornecimento elétrico para mais 400 famílias
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
piaui (1)
Manifestantes contra o corte do fornecimento de energia em mais de 400 famílias | Foto: Reprodução COTV

Nesta quinta-feira dia 20 de agosto, a população de Teresina realizou uma grande manifestação contra o corte no fornecimento elétrico para mais de 400 famílias. Os manifestantes, em uma mobilização bastante combativa, levantaram barricadas e atearam fogo em pneus em uma das avenidas de Teresina-PI.

O vídeo do ocorrido pode ser visto aqui.

Após a manifestação, que foi uma verdadeira rebelião popular, a empresa Equatorial, concessionária de energia que atende a capital piauiense e algumas cidades do interior, que tinha realizado a interrupção do fornecimento de energia elétrica, restabeleceu o fornecimento das mais de 400 famílias afetadas.

O corte por falta de pagamento esteve suspenso durante quatro meses, desde o início da pandemia da Covid-19 por medida da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e retornou desde o dia 1º de agosto, mantendo-se a proibição apenas para as famílias beneficiadas pela Tarifa Social de Energia Elétrica.

Chama a atenção que passada a crise, no dia posterior a mobilização, a venal imprensa capitalista se mobilizou para retirar o ônus do ocorrido da política fascista do governo Bolsonaro – que autorizou os cortes em massa da população que está com  as contas atrasadas – e jogar a culpa da interrupção do fornecimento das mais de 400 famílias nos acidentes provocados por “pipas”.

Culpa as pipas pela interrupção no fornecimento também foi a disparatada posição da direção da Equatorial Piauí. Segundo seu gerente do Centro de Operações, Raimundo Conde:

“Além de interromper o fornecimento de energia elétrica, que podem atingir inclusive serviços essenciais indispensáveis nesse período de pandemia, os curtos-circuitos provocados pelas pipas podem provocar danos em equipamentos elétricos e acidentes fatais..”

Essa postura da imprensa capitalista e da empresa Equatorial Piauí leva a crer que em Teresina houve o acidente envolvendo o maior número de pipas do mundo. Já que esse acidente teria interrompido o fornecimento de mais de 400 famílias específicas e não da região como um todo. É um papel vergonhoso, ridículo sob todos os ângulos o desempenhado pela imprensa capitalista, para defender a política fascista do governo federal e da concessionária Equatorial.

Esse caso de Teresina é um verdadeiro exemplo e demonstra a necessidade da população de sair às ruas para pressionar o poder público. Só assim, através da luta, serão atendidos os direitos constitucionais do povo, entre esses o de continuidade no fornecimento de energia elétrica em meio a crise sanitária da pandemia de coronavírus.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas