Greve
Petroleiros e petroquímicos devem radicalizar a greve contra os ataques do Judiciário, ocupar as unidades, fazer piquetes, incorporar os terceirizados e chamar o Fora Bolsonaro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1500x500 (1)
Petroquímicos ocupam a FAFEN-PR desde o final de janeiro. Foto: Sindiquímica Paraná/Twitter |

Da redação – Os trabalhadores petroquímicos da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (FAFEN-PR) realizam, neste momento, um ato no auditório do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Curitiba.

Eles se deslocaram da fábrica, localizada na cidade de Araucária – e que está paralisada e ocupada desde o final de janeiro -, até a capital paranaense para realizar esse ato, que conta com o apoio dos petroleiros que estão em greve.

O ato decorre da audiência de mediação sobre as demissões na FAFEN-PR, na qual os desembargadores do TRT e os dirigentes bolsonaristas da Petrobras tentarão impor um acordo ao Sindicato dos Petroquímicos do Paraná e ao Sindicato dos Petroleiros do Paraná e de Santa Catarina para colocar um fim à greve.

Por isso a importância da mobilização e de encher o auditório do TRT, para que a base petroquímica e petroleira pressione para que a greve continue, contra a intimidação dos patrões e do Judiciário.

Os trabalhadores da FAFEN-PR foram os que desencadearam a greve nacional dos petroleiros. Em janeiro, a Petrobras anunciou – sem avisar aos trabalhadores da fábrica – o fechamento na FAFEN-PR e a demissão de mais de mil operários. Revoltados, eles cruzaram os braços e ocuparam a fábrica, sendo seguidos a partir do dia 1º de janeiro por mais de 20 mil petroleiros em mais de 100 unidades da Petrobras em todo o País.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas