Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
greve-geral-petroleiros
|

Os petroleiros estão em uma greve política porque colocam a diretriz do governo golpista contra a parede. O governo Temer tem por orientação a privatização do patrimônio nacional, tal como anunciado pelo programa do MDB chamado “Uma ponte para o futuro”. Esse programa nada mais é do que uma adulação à vontade do imperialismo, isto é, uma benesse ao mercado financeiro para que o capital acumulado possa ser especulado na compra dos empreendimentos nacionais.

A greve dos petroleiros vai justamente contra essa política anti-povo e contra trabalhador. A privatização da Petrobrás, portanto, faz parte desse pacote de entrega do patrimônio nacional aos grandes especuladores internacionais. A greve dos caminhoneiros abriu uma brecha para que a insatisfação dos petroleiros fosse canalizada na greve de cunho político contra o governo Temer. Pedro Parente, atual presidente da estatal petrolífera, certamente deveria sair da presidência, mas retirá-lo não resolveria o problema, haja vista que Temer continuaria ditando as cartas. É preciso mudar o governo pela iniciativa da classe trabalhadora.

Nesse sentido, faz-se necessário que a CUT se some ao movimento paredista dos caminhoneiros e dos petroleiros a fim de convocar uma grande Greve Geral, e colocar o governo Temer para correr, do contrário a privatização e o aumento sucessivo dos combustíveis continuarão intocáveis.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas