Pesquisadores condenam perseguição ideológica de Bolsonaro na concessão de bolsas

o-presidente-jair-bolsonaro-psl-empossa-o-colombiano-naturalizado-brasileiro-ricardo-velez-rodriguez-como-ministro-da-educacao-no-palacio-do-planalto-em-brasilia-1546461609175_v2_1920x1279

Da redação – Associações de docentes e pesquisadores divulgaram nota de repúdio à medida tomada pelo Ministério da Educação, sob o comando do colombiano Ricardo Vélez Rodríguez, de fazer um filtro ideológico na concessão de bolsas de estudo para pós-graduação e doutorado no exterior.

Rodríguez é um seguidor do “filósofo” fascista Olavo de Carvalho e do ex-presidente colombiano Alvaro Uribe, de extrema-direita, com forte poder até hoje dentro do aparato de Estado colombiano, responsável pelo armamento e acobertamento de paramilitares que reprimem e assassinam o movimento popular.

O Ministério da Educação não irá mais conceder bolsas a estudantes, professores e pesquisadores de esquerda ou que tenham um posicionamento minimamente democrático. O critério ideológico será eliminador, com a desculpa de combater o enganoso aparelhamento petista das instituições. Assim, somente fascistas e bolsonaristas poderão conseguir essas bolsas.

Em comunicado conjunto, a SBHE, ANPEd, ANPOCS e ANPUH – Brasil “declaram total indignação com a tentativa de instalar a censura na pesquisa” e afirmam que “qualquer critério ideológico que passe a ser utilizado para negar apoio à pesquisa, significará o atraso científico e tecnológico do Brasil”.

“A intenção é negar bolsas e, até mesmo, cortar as existentes, de pesquisadores que possam ter pesquisas com um viés que não esteja de acordo com a política que se implantou no poder executivo neste momento”, diz ainda a nota.

Os professores, estudantes, pesquisadores e todos os que estão ligados à comunidade acadêmica e educacional devem se unir aos movimentos populares, porque só assim, em um amplo movimento organizado, será possível combater e derrubar o governo ilegítimo e de extrema-direita. É preciso levantar em todos os cantos a palavra de ordem “Fora Bolsonaro”.