PESQUISA: Lula vence em todos os cenários se o povo tiver garantido o direito de votar nele

lula curitiba

Da redação – O golpe de Estado que tirou Dilma Rousseff (PT) da presidência em 2016 não conseguiu destruir a popularidade de Lula. O representante dos trabalhadores nas eleições, reconhecido pela massa operária como tal, continua liderando a corrida pelas eleições nas pesquisas de intenção de voto. Nesta segunda-feira (20), mais uma pesquisa aponta Lula com vencedor contra qualquer candidato em um eventual segundo turno, realizada pelo instituto MDA e encomendada pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes).

Lula também vence no primeiro turno nas respostas estimuladas, em que são fornecidos os nomes dos candidatos ao entrevistado, e nas respostas espontâneas, em que o entrevistado diz o nome de seu candidato sem que o entrevistador dê uma lista de nomes para que o entrevistado escolha um entre eles.

Respostas estimuladas:

Lula (PT) – 37,3%
Jair Bolsonaro (PSL) – 18,8%
Marina Silva (Rede) – 5,6%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 4,9%
Ciro Gomes (PDT) – 4,1%
Alvaro Dias (Podemos) – 2,7%
Guilherme Boulos (PSOL) – 0,9%
João Amoêdo (Novo) – 0,8%
Henrique Meirelles (MDB) – 0,8%
Cabo Daciolo (Patriota) – 0,4%
Vera (PSTU) – 0,3%
João Goulart Filho (PPL) – 0,1%
José Maria Eymael (DC) – 0%
Branco/Nulo – 14,3%
Indeciso – 8,8%

Respostas espontâneas:

Lula (PT) – 20,7%
Jair Bolsonaro (PSL) – 15,1%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 1,7%
Ciro Gomes (PDT) – 1,5%
Alvaro Dias (Podemos) – 1,3%
Marina Silva (Rede) – 1,1%
Outros – 1,4%
Branco/Nulo – 18,1%
Indeciso – 39,0%

A popularidade de Lula representa também uma rejeição ao golpe e ao programa do golpe. O problema da fraude eleitoral dos golpistas é tirar essa rejeição à política neoliberal das próprias eleições. Por isso querem passar por cima dos direitos políticos de Lula, e de toda a população junto, tirando das eleições o candidato mais popular. Lula coloca em xeque a fraude preparada pela direita, e por isso sua candidatura deve ser defendida até o fim das eleições, mesmo que os golpistas o impeçam de participar usando manobras jurídicas.