Siga o DCO nas redes sociais

Persiste a ofensiva da direção golpista do Banco do Brasil ao plano de saúde dos seus funcionários
Banco-do-Brasil
Persiste a ofensiva da direção golpista do Banco do Brasil ao plano de saúde dos seus funcionários
Banco-do-Brasil

Depois de sofrer uma importante derrota ao tentar mudar o estatuto do Plano de Saúde dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), na tentativa de pavimentar a liquidação do plano e entregar para os banqueiros privados, através de consulta ao corpo social, a direção golpista do BB partiu para uma nova ofensiva terrorista de intimidação à categoria ao tentar elevar os valores da coparticipação, em consultas médicas, sessões psicoterapêuticas e serviços complementares, etc., na reunião do Conselho Deliberativo da Cassi, que só não aconteceu por falta de quórum.

Já no começo no ano o banco havia elevado a coparticipação em consultas médicas e sessões de psicoterapia de 30% para 40% e para serviços complementares de 10% para 20% e agora tentar aumentar as consultas de emergência ou agendadas, sessões de psicoterapia e acupuntura e visitas domiciliares dos atuais 40% para 50% e de 20% para 30% nos serviços de fisioterapia, RPG, fonoaudiologia e terapia ocupacional que não envolvam internação hospitalar. Além disso pretende passar por cima do estatuto do plano ao cobrar do funcionário o limitador de 1/24 do salário bruto do associado nos meses subsequente, quando reza no estatuto que o excedente não pode ser cobrado futuramente.

Mais essa medida da direita golpista, que hoje está à frente do BB, conforme o Diário Causa Operária vem alertando é parte da estratégia dos banqueiros e seus governos de entregar para os capitalistas o patrimônio dos trabalhadores, de olho em uma receita de mais de R$ 5 bi anuais e mais 850 mil associados, que também tem no seu fundamento abrir o caminho para a privatização do Banco do Brasil.

Cabe aos trabalhadores do Banco do Brasil e suas organizações barrar mais esse ataque do governo golpista e organizar uma gigantesca mobilização pelo controle do plano unicamente pelos trabalhadores, e derrotar o golpe pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas, Eleições Gerais, Liberdade para Lula