Perseguição política: Guido Mantega será “julgado” por Sérgio Moro

Moro

Ex-ministro da Fazenda é alvo de mais uma investida dos golpistas. O juiz federal Sergio Moro, conhecido pelo codinome “Mussolini de Maringá”, rejeitou a denúncia contra o ex-ministro Antonio Palocci e aceitou denúncia contra Guido Mantega e outras nove pessoas nesta segunda-feira (13/08). Desta forma, em uma escolha claramente política Mantega vira réu na operação Lava Jato.

Segundo Moro, Guido Mantega teria sido o responsável tanto pela solicitação quanto pela posterior utilização de uma quantia no valor de R$ 50 milhões. Através dos acordos de leniência, as provas têm como base denúncias fornecidas pelas empresas Braskem e Odebrecht.

Não precisamos destacar a ausência de provas materiais pois, sabemos que Moro tem suas predileções e não mede esforços para prender parlamentares do PT, diferente dos casos que envolvem parlamentares do PSDB. Com o apoio da mídia golpista, utilizadora do mais pérfido proselitismo, Moro se apresenta como o arauto da justiça, seguindo a cartilha do imperialismo e favorecendo os seus asseclas golpistas. Há que se destacar, que Moro tem o costume de utilizar a teoria do “Domínio do fato”, a qual aprendeu com seus senhorios nos EUA (Estados Unidos da América), sendo esta muito recorrente no direito anglo-saxão. Foi através desse estratagema que o Mussolini de Maringá prendeu o ex-presidente Lula, sem provas. Essa teoria contrapõe um princípio jurídico de ordem constitucional, conhecido como “Presunção da inocência”.

Diante de todos esses fatos, não restam dúvidas da perseguição que a esquerda vem sofrendo. Enquanto isso, os preferidos da direita golpista são protegidos pelo aparato burocrático do Estado burguês, que utilizam das suas cadeiras no judiciário para controlar as massas em nome de um suposto “combate à corrupção”. Não esqueçamos que o poder judiciário é mera expressão das classes dominantes na esfera jurídica. Em razão disso, somente um governo que expurgue todos esses representantes da burguesia, pode servir a classe trabalhadora.