Siga o DCO nas redes sociais

Perseguição implacável, ilegal e covarde: Moro manda penhorar até casa da mãe de José Dirceu
Perseguição implacável, ilegal e covarde: Moro manda penhorar até casa da mãe de José Dirceu

A perseguição implacável dos golpistas contra o ex-dirigente do PT, José Dirceu, continua se aprofundando.  Utilizando-se de uma aberração jurídica, denominada de Teoria do Domínio do Fato, o judiciário golpista, por meio da Operação Lava Jato, condenou Dirceu em segunda instância a 20 anos e 10 meses de prisão, condenação esta, feita pelo Tribunal Federal da Quarta Região, o TRF4, o mesmo que condenou o ex-presidente Lula.

Não há provas contra José Dirceu. Tudo o que há são suposições de que o ex-dirigente, enquanto ocupava um cargo na Diretoria de Serviços da Petrobrás, tinha conhecimento de um suposto esquema de desvio de dinheiro e corrupção envolvendo os contratos entre as empresas Engevix e UTC. Um verdadeiro processo de perseguição política contra o ex-dirigente petista.

Agora, para aprofundar ainda mais essa perseguição, o juiz golpista Sérgio Moro, determinou o leilão de quatro imóveis de José Dirceu, dentre eles uma casa localizada em Passa Quatro, interior do estado de Minas Gerais, na qual morava a mãe de Dirceu.

De maneira ilegal e arbitrária, o judiciário, capitaneado por Moro e os procuradores da Lava Jato, age no sentido de destruir não só a figura política de José Dirceu, mas a sua própria vida pessoal e familiar. A condenação de 20 anos de prisão é, na prática, uma condenação de morte para um homem de 71 anos.

A mesma perseguição covarde está sendo feita contra o ex-presidente Lula. Vale lembrar que em janeiro de 2017, a esposa do ex-presidente, Marisa Letícia, faleceu em decorrência da extrema pressão imposta pela justiça golpista.

É necessário denunciar essas inúmeras arbitrariedades e realizar uma ampla campanha pela imediata libertação de José Dirceu  e de todos os presos políticos de outras operações-farsa da direita e de denúncia de todas as arbitrariedades dos golpistas. Intensificar também a campanha contra a prisão do ex-presidente Lula.

Toda esta operação não tem nada a ver com o suposto combate à corrupção, mas não passa de uma operação para colocar a direita no poder e aprofundar ainda mais o roubo do patrimônio público pelos capitalistas estrangeiros por meio da venda das empresas estatais a preço de banana.