Perseguição eleitoral: Bolsonaro pede ao TSE que impeça Lula de receber recursos para campanha

bolsonaro

Da redação – Todo mundo sabe que a burguesia não vence as eleições a não ser às custas de muita trapaça e manipulação. A mais nova tentativa de fraudar a disputa partiu do candidato de extrema-direita, da coligação de Jair Bolsonaro (PSL), segundo colocado nas pesquisas eleitorais. Seus advogados foram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último dia 30, pedir que a chapa de Lula, formada pelos partidos PT, PCdoB e PROS, seja impedida de receber recursos do fundo eleitoral, porque, segundo eles, o ex-presidente já estaria inelegível.

Em suas palavras: “inexiste qualquer dúvida razoável sobre a causa de inelegibilidade objetiva que incide na pessoa de Luiz Inácio Lula da Silva” e “O prejuízo ao patrimônio público resta plenamente configurado. […] Trata-se, em verdade, de insistência ilícita e de má-fé, de uma candidatura maculada, originariamente, por uma causa objetiva de inelegibilidade”.

Os defensores de Lula, no entanto, informam que a inelegibilidade do ex-presidente ainda não foi decretada em definitivo, o que, de acordo com a Constituição Federal, permite que o candidato permaneça no pleito e consiga concorrer sub judice.  Eles acrescentam que “A inelegibilidade de Lula foi suspensa pela decisão do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas”, e, marcada em cima da hora, será julgada nesta sexta-feira, 31.

E como não poderia deixar de ser no regime de exceção que vivemos, o relator escolhido para apreciar o pedido de Bolsonaro, foi o ministro golpista Luiz Edson Fachin, que já realizou diversas manobras jurídicas e burocráticas para impedir a libertação de Lula e prejudicar sua defesa. Isso mostra que não podemos esperar qualquer decisão isenta ou sensata por parte destes juizes corrompidos pelo imperialismo. É necessário agir e organizar mobilizações por todo o país, em favor de Lula e da soberania popular.