Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
MST-12
|

Da redação – O coronel do Exército, João Miguel Souza Aguiar, empossado como ouvidor agrário nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) enviou um memorando para que todas as superintendências regionais do órgão em todo o País não recebam mais entidades “que não possuam personalidade jurídica” ou que “sejam invasores de terras”.

Ainda afirma que para os invasores de terra “estes devem ser notificados conforme a lei”. A ouvidoria agrária do INCRA é utilizada para atuar em mediações de conflitos entre latifundiários e sem-terra em todo o País numa tentativa de aumento da violência.

A medida é um ataque direcionado para o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), mas atinge todos os movimentos sociais de luta pela terra em todo o País, incluindo posseiros, quilombolas e indígenas.

O militar ainda afirma que a decisão está em consonância com o presidente do INCRA, o general João Carlos de Jesus Corrêa, e é um sinal claro para que os latifundiários e suas milícias de pistoleiros atuem da maneira mais violenta para expulsar os sem-terra, posseiros, quilombolas e indígenas em todo território nacional. É a carta branca para os pistoleiros.

É mais um sinal claro do governo ilegítimo de Bolsonaro para os trabalhadores sem-terra e comunidades tradicionais, em especial ao MST, do que vem pela frente: perseguição política e muita violência.

Diante dessas medidas as organizações de luta pela terra precisam se preparar para o que vem pela frente e organizar comitês de autodefesa em todos os acampamentos, assentamentos e comunidades no campo contra a violência dos bolsonaristas.

É preciso iniciar imediatamente uma grande mobilização contra essas medidas do governo e colocar a palavra de ordem de “Fora Bolsonaro e todos os golpistas” nas ruas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas