Perseguição à esquerda: deputado bolsonarista propõe “secretaria de desesquerdização

dsc00501-1

Da redação – Por mais que sejam escatológicos os políticos e a base bolsonaristas, eles são perigosos. A extrema-direita é esdrúxula mas seu principal objetivo é claro: conter o movimento operário e popular.

É nesse sentido que o deputado federal Heitor Freire (PSL-CE) apresentou a proposta de criar uma Secretaria Especial de Desesquerdização da Administração Pública. Isto é, em outras palavras, perseguir todos os funcionários públicos e trabalhadores que sejam de esquerda. Coisa que Bolsonaro fez no início de seu mandato.

No próprio documento o deputado ataca o Partido dos Trabalhadores e declara que é preciso “expurgar de forma imediata os agentes da esquerda infiltrados na administração pública”.

Segundo ele, o objetivo da secretaria seria “realizar um amplo controle, fiscalização, identificação, mapeamento, monitoramento, com consequente sugestão de exoneração por decisão do Presidente da República, de todo aquele agente de esquerda a que atue de forma oculta e que continue trazendo danos diretos e indiretos para a sanidade desta nação”.

Ou seja, um verdadeiro processo de perseguição política, ao estilo do Macartismo nos EUA dos anos 50. Uma política de espionagem com fins de reprimir as organizações de esquerda e seus simpatizantes e militantes que se encontram em cargos administrativos do funcionarismo público.

Isso precisa ser combatido imediatamente. Por isso, é preciso sair às ruas e pedir a derrubada do governo Bolsonaro. O carnaval demonstrou que a palavra de ordem do momento é “Fora Bolsonaro”.